12 pecados no curriculo que você não pode cometer

| 16 de dezembro de 2008 | 9 Respostas

 Um currículo revela muito da personalidade, a formação de um candidato, e isso vai muito além do que você escreve. A forma como estrutura seu currículo, a fluência escrita do bom português e variedade gramatical utilizada (isso mesmo, tem gente dizendo que é fluente em inglês, quando nem mesmo o próprio idioma conhece direito, incorrendo em erros básicos de gramática), tudo isso tem seu peso. Longe de ser uma garantia de um bom emprego, mas uma boa impressão no currículo pode lhe render a continuidade no processo seletivo.

Alguns erros podem ser evitados, o que também evitaria uma desclassificação sumária e prematura do processo seletivo. Aqui vai alguns deles:

1 – Currículo sem Objetivo Profissional ou objetivo vago, muito abrangente

Seja claro com relação à função que se está candidatando. Objetivo genérico e vago não o levará a lugar algum.

2 – Dados pessoais como num. de RG, CPF, etc…currículo ou abertura de crediário?

Esqueça. Nada disso interessa nessa fase inicial. Serve somente para poluir o currículo, mais um ponto negativo que pode desfocar o selecionador do objetivo principal do candidato.

3 – Precisa de pretensão salarial?

Somente se for solicitado. Mesmo assim, não seja tão radical com relação ao valor, estabeleça uma faixa, a não ser, é claro, que a sua situação seja tranquila. Mesmo assim, pense bem, uma entrevista pode ser sua porta aberta para o futuro.  Outra coisa: coloque essa informação no final do currículo, caso necessário. O “preço”, logo de cara, pode assustar, primeiro mostre o que você pode fazer.

4 – Formatação incomum

Tipos de letras e cores estranhas e difíceis de se ler, papel com fundos de cores fortes, abuso de combinação de cores, são apenas algums dos exageros que dificultam a análise do seu currículo por parte de quem lê…

5 – Pra quê foto? tem certeza disso??

Deixe o espírito narcisita de lado, caso seja assim, e evite colocar foto no currículo, a não ser que a função a que se candidata seja de modelo, vendedor, ou outra que exija boa aparência.

6 – Funções e experiências sem relação com o objetivo profissional

Cuidado com o enchimento de linguiça, com passagens por empresas e funções que nada acrescentam ao objetivo principal. A vaga é de analista programador e você trabalhou como ajudante de açougueiro no seu primeiro emprego? Não inclua essa experiência, pois mais vai atrapalhar que ajudar…

7 – Muitas páginas…enviou o TCC por engano?

O curriculo não precisa ser muito longo, e claro que muito curto também não ajuda. Se você tem muita experiência que faça com que seu currículo pareça muito grande, resuma um pouco. Se estiver curto de demais, inclua alguns detalhes. Especialistas sugerem de 2 a 3 páginas.

8 – currículo genérico…1001 utilidades!

Muitos generalistas tem um pouco de preguiça e montam um currículo genérico, mandando pra tudo quanto é oportunidade…vira aquela maçaroca: a vaga é de administrador de redes e tem detalhamento da experiência como desenvolvedor, dba, etc…O risco é grande de o candidato cair no descrédito devido a falta de foco.

9 – Papel exagerado…

Tem gente que manda o currículo parecendo uma chapa de pulmão, naquele envelope laranja gigantesco… bom, se fosse como aqueles sorteios em que as cartas são jogadas no alto, tudo bem, né, mas não é o caso. O padrão A4, branco, vai bem.

10 – Informações falsas

Mentir é comum para muita gente e pode até render uma entrevista, mas quando for fazer a entrevista técnica, atualmente bem amparada por questões situacionais (ou seja, difíceis de serem respondidas se realmente não conhecer o aspecto técnico) a máscara poderá cair, e você fatalmente ficará queimado quanto a novas oportunidades nessa empresa… vale à pena o risco?

11 – Informações incompletas

Alguns pensam que o fato de o currículo faltar informações essenciais poderia fazer com que o departamento de RH entrasse em contato para tirar dúvidas e então surgir uma oportunidade… ledo engano. Se tiver outros currículos mais completos, o seu deverá ser descartado.

12 – Falta de referências

Tem referências? não perca a oportunidade de citá-las em alguns casos. Muitas funções, por exemplo são estratégicas e de muita confiança, como pode o selecionador confiar somente em sua palavra ? Uma boa referência pode ser decisiva a seu favor, tenha-as na mão quando for solicitado.

  O artigo da Info complementa essa informação. Estendemos um pouco a idéia de 7 para 12 pecados que podem ser decisivos para sua sobrevivência num processo de seleção. Certamente tem mais que isso, pois as regras do jogo evoluem. Então qual mais você poderia acrescentar?

Artigos que também podem lhe interessar:

Related Posts with Thumbnails

Tags: , ,

Categoria: Carreira

Sobre o autor ()

Comments (9)

Trackback URL | Comentários RSS Feed

  1. ChErNoByL disse:

    Nossa! de 2 a 3 páginas?
    Isso sim é um TCC!
    Na minha opnião o CV deve ter no máximo, estourando, ultrapassando limites, 2 páginas… rs!

    Trabalhei em um RH onde tínhamos caixas com pelo menos 100 CV’s dentro e tínhamos que fazer a triagem sempre na última hora, ou seja, selecionar em 1 dia, pelo menos 30 de 400 CV’s.

    Acham que alguém tinha tempo ou paciência de ficar lendo os detalhes?

    Claro, que isso depende da urgência de contratação, mas fica aqui minha opnião.

    Abs e continue com os ótimos artigos! Acesso diariamente!
    =)

  2. Bruno disse:

    Excelente artigo,
    agora discordo deste ponto “…Especialistas sugerem de 2 a 3 páginas.”, acho muito ainda,o que o mercado sugere hoje é apenas 1 pagina e só.

  3. Vinicius disse:

    ChErNoByL, muito interessante, às vezes a gente não tem idéia do volume de currículos que chega em muitas grande empresas…ou seja, o segredo parece ser, em casos como esse, de atrair a atenção do selecionador com a maior objetividade possível…tarefa nada fácil, mas possível!
    abs!

  4. Vinicius disse:

    Bruno, alguns especialistas de RH dizem isso, mas o que vale no final é o bom senso e peculiaridades de cada vaga…acredito que um currículo de um CIO exija uma maior riqueza de detalhes devido a “rodagem” do profissional. Este é um exemplo. No geral, deve ser mais objetivo mesmo, como relembrou..abs!!

  5. Wllisses disse:

    Olha essa informação sobre informar a experiência profissional vou passar a adotá-la, realmente ela atrapalha na hora da entrevista, quando o serviço que pretende ingressar não tem nada a ver com o do emprego anterior. Espero ajudar. Mas obrigado pela dica, estava navegando o “Uêba” e encontrei essa matéria, muito boa. Valeu

  6. Pamela Maria de jesus disse:

    muito bom esse artigo demais valeu brigadão

  7. muito bom esse artigo demais brigadão valeu!!!

Deixe sua Resposta

LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com