SQL Server 2008 ou Oracle 11g? E o cliente não está nem aí

E a saga continua. Com a liberação do RC0 (Release Candidate) da mais nova versão do gerenciador de bancos de dados da Microsoft, o SQL Server 2008, no dia 06/08 (conforme noticiou a Info), serão disponibilizadas 6 edições, com muitos novos recursos, as quais atenderão necessidades específicas. A única versão indisponível no momento para download é o SQL Server 2008 Express, que é uma edição gratuita. A Microsoft não pretende perder de vista a Oracle, que ainda domina o mercado mundial de SGBD’s e lançou no ano passado a versão 11g do seu SGBD (Sistema Gerenciador de Bancos de Dados).

Mas fica a pergunta: até que ponto a batalha entre a Microsoft e a Oracle realmente me interessa enquanto profissional de tecnologia? Qual desses gerenciadores é definitivamente o melhor?

Antes de responder vamos a alguns fatos. Existem muitos profissionais no mercado que estão cegos pela tecnologia em si, a consideram um fim em si mesma, e não apenas mais um meio de solucionar os problemas do cliente, esses são os profissionais que chamo de garoto-propaganda-technology-especialist

Olha a definição aí:

O garoto-propaganda-technology-especialist é…

… o profissional que se especializou em uma determinada tecnologia, fez muitos cursos, se certificou e acredita que isso é tudo que precisa saber, acha que um dia o seu software preferido vai dominar o mundo, extirpando os demais “softwares do mal” da face da terra (já lembrou de alguém assim né…e nem precisou fazer força!).

Mas…

…não deveria ser a intenção do profissional de tecnologia, no caso, administrador de bancos de dados, oferecer solução para o cliente aliado ao menor custo possível?

Eis aí o que o cliente realmente quer: solução!

Ele não está preocupado nem um pouco quanto ao lucro auferido pela Microsoft no 2 º trimestre deste ano, ou o crescimento do market-share da Oracle, para ele o que interessa é ter uma solução que ofereça o menor custo possível de implementação, manutenção e suporte, de forma que essa diferença em termos de valor financeiro seja sentida, mensurável, tangível.

Em minha modesta opinião não vejo muito sentido hoje em dia que alguém se prenda a uma determinada ferramenta a menos que trabalhe para o fabricante, receba salário e tudo o mais que é de direito (aí até eu). Alguns dizem: “Ah, mas a Microsoft para o meu salario” ou outro diz ainda “A Oracle paga meu salário”, em alusão ao fato de serem especialistas nessas tecnologias.

Se você pensa assim, é melhor começar a mudar. O perfil do profissional de TI vem mudando com os anos, para melhor, diga-se de passagem, tendo em vista a especialização constante da classe, aqueles gerentes de TI bobinhos, que engolem tudo o que o consultor-master-especialista diz estão com os dias contados: E juntamente com eles veja quem vai junto: o garoto-propaganda-technology-especialist !

Você pode vender sua tecnologia para seu gerente como a melhor do mundo. Porém um dia alguém poderá provar como 1 +1=2 que a tecnologia que você vendeu é inviável em termos de custo-benefício, ou seja, traz prejuízos à empresa. E quando o gerente pensar em você depois disso não passarão boas palavras a seu respeito em sua mente, ou pior, quando puder, dirá prontamente a outros como foi enganado por você.

Portanto aí vai a dica:

Como diz o velho dito popular, bastante usado no mercado financeiro:

Não coloque todos os ovos na mesma cesta

Portanto, Diversifique seu conhecimento que é seu maior patrimônio!

Conhece Oracle? Ótimo, aprenda SQL Server, DB2, MySQL, Etc…

Agora, quer saber realmente qual o melhor gerenciador de bancos de dados? Depende.

Artigos que também podem lhe interessar:

Related Posts with Thumbnails

Discussão

  1. Vinicius
  2. Fernando
  3. Vinicius
  4. Fábio
  5. Chiranjivi
  6. Gilson Kukiel