Você não me parece confiável em seu discurso…por que será?

 

 

O sucesso profissional depende em grande parte de uma boa comunicação, e isto não importa em que ramo de atividade se atue, ou mesmo a cultura ou país. Mesmo com o passar dos anos e com o avanço da Tecnologia em todas as esferas da sociedade, manter uma boa comunicação parece ser ainda um dos grandes desafios da sociedade.

E o que dizer então daquela forma de comunicação que não expressamos conscientemente muitas vezes? Trata-se da comunicação não verbal, que corresponde a maior parte de nossa comunicação diária. Nossos gestos, postura, caretas, costumam retratar muitas vezes o que realmente sentimos ou pensamos em relação a algum assunto, e inconscientemente pode ir no sentido contrário do que falamos.

E a outra pessoa chega a ter aquela impressão de que, de alguma forma não demonstramos ser confiáveis em nosso discurso. O que pode fazer com que percamos prestígio, seja para conquistar uma vaga de emprego ou assumir um projeto importante dentro da empresa.

Um bom entendimento de conceitos ainda que básicos sobre comunicação não verbal pode fazer a diferença entre ser bem sucedido ou não na carreira profissional. Por isso pensei em compartilhar as dicas abaixo com voce.

São dicas divulgadas pelo site WiseBread, que apresenta cinco erros comuns que as pessoas cometem ao “falar com o corpo” durante entrevistas profissionais, e também deu dicas para evitá-los.  Servem não somente para situações de entrevista de emprego, mas para muitas outras dentro da empresa ou mesmo fora dela. Veja:

1 – Seu aperto de mão pode causar uma boa ou má primeira impressão

Torne seu aperto de mão firme, mas não de maneira agressiva ou frágil demais. Bem sabemos que o nervosismo pode tomar conta de muita gente ao partir para uma entrevista, mas certifique-se de que suas mãos estejam secas e não suando ao se apresentar para o recrutador.

2 – Não toque o seu rosto

As pessoas tendem a colocar as mãos para apoiar seus rostos durante alguma entrevista. No entanto, se quiser dar uma boa impressão, precisa estar consciente de que suas mãos podem ditar o resultado final de um processo seletivo. Mantenha-as longe de seu nariz e boca, e não as coloque sobre o queixo, como quem está analisando o ambiente. Para muitos entrevistadores, tocar o rosto pode ser um sinal de desonestidade.

3 – Não cruze os braços

Mesmo quem não tem o hábito de participar de muitas entrevistas, sabe que o simples cruzar de braços pode dizer muito sobre o que você acha a respeito de um determinado assunto. Cruzar os braços é, muita vezes, sinônimo de agressividade ou desinteresse, e esta, com certeza, não é a primeira impressão que você quer transmitir. O máximo que você pode fazer é colocar suas mãos sobre a mesa (caso haja alguma).

4 – Não olhe tão fixamente

Contato visual sempre é uma boa saída. Mas existe uma diferença entre olhar fixamente e simplesmente prestar atenção. Por isso, essa atitude deve ser algo natural: não fixe os olhos no seu entrevistador, mas olhe-o com atenção sem deixá-lo desconfortável. Ao mesmo tempo, não percorra a sala com o seu olhar, como quem parece entediado ou pensando em outras coisas que não sejam o motivo da entrevista.

5 – Evite balançar muito o corpo

Balançar o pé, as pernas, acenar muito com a cabeça, girar o corpo na cadeira, e tantos outros movimentos dessa natureza podem fazer com que o recrutador o interprete como uma pessoa desinteressada, ou até mesmo hipócrita ou covarde. Assim como o contato visual deve ser ponderado, concordar positiva ou negativamente com a cabeça deve também ser moderado, e apenas quando a situação for claramente apropriada.

Tem muito mais coisa nesse universo complexo que é o da linguagem corporal, mas estas dicas sem dúvida já dão uma base importante. Que tal começar a treinar esses detalhes?

Os pontos em destaque acima são do site Olhar Digital.

Artigos que também podem lhe interessar:

Related Posts with Thumbnails