Vai trocar de emprego? Peça demissão com classe deixando a porta aberta

Nada é eterno, ainda mais quando se trata de emprego nesta era moderna. Muitas pesquisas por aí apontam para a mudança de comportamento de trabalhadores e empresas quanto a manutenção do emprego, que poucas décadas atrás era mais comum quando o profissional trabalhava somente numa empresa durante toda sua carreira.

Isso é mais verdadeiro ainda no mundo da Tecnologia da Informação, dominado por empresas e consultorias de pequeno porte, onde costuma ter uma rotatividade maior de pessoal.

O mercado muda cada vez mais rápido, influenciando empresas e empregados, que de uma forma ou de outra deixam de acompanhar a mudança. Quando essa falta de sintonia ocorre, o funcionário, dentro do seu direito, pode  pedir as contas, demitir a empresa.

Até aí normal, mas…

Apesar de estar correto dentro de suas necessidades ao buscar uma oportunidade mais adequada a seu perfil em termos de carreira ou ainda devido a outras variáveis como salário, cultura, política de benefícios, porte da empresa entre outros, é preciso saber sair da empresa com respeito.

Respeito `a empresa que até o momento (mal ou bem) apostou em seus serviços. Aos colegas de trabalho que ficam ao não menosprezar a empresa por aí por conta de seus defeitos e limitações.  Enfim, ser profissional e educado é fundamental, pois além de manter uma boa imagem pessoal perante todos, ainda ajuda a manter a porta aberta.

Deixa aberta não somente a chance de voltar ao emprego antigo, mas como a chance de receber uma boa indicação para trabalhar em outro lugar.

Quem cospe no prato em que comeu acaba gerando problemas não somente com a empresa e pessoas a ela relacionada, mas praticamente destrói suas chances de retorno em caso de necessidade e ainda tem outro agravante: as mudanças constantes no mercado aumentam as chances de que colegas ou chefes da empresa antiga de repente voltem a ser seus superiores na nova empresa… é amigo, o mundo dá muitas voltas, é bom não pagarmos para ver.

Além desses cuidados que vejo pela experiência própria, o site informationWeek ainda lista quatro conselhos para quem está de malas prontas da empresa atual. Veja mais abaixo como sair com a cabeça erguida e consciência limpa:

1. Honestidade é a melhor política. Se você está prestes a abandonar o navio, Faulkner disse que é sempre melhor ser simples e honesto o melhor possível. “Diga ao seu gerente de TI que você está se evoluindo para uma posição melhor, com um melhor salário e mais responsabilidade. Pelo menos comunique o seu atual gerente algumas semanas antes de abandonar o barco” para dar o tempo necessário da empresa cobrir a sua carga de trabalho. “O gerente de TI não só irá apreciar o comunicado, mas poderá lhe oferecer uma contraproposta, que pode até mesmo fazer com que você permanece na companhia.”

2. Garanta a transferência adequada de conhecimento. Embora a Cybernut Solutions depende de vários sistemas de CRM para acompanhar a relação empregado-cliente, Faulkner disse que sempre aprecia quando partes de um empregado demitido “compartilha questões problemáticas que um cliente tem experimentado recentemente.” Faulkner disse: “Nós fazemos um bom trabalho de acompanhamento de todos os pontos de contato dos nossos clientes e nossa documentação está viva e atualizada diariamente”, mas qualquer tipo de transferência de conhecimentos entre um profissional de TI e seu gerente antes de sair pode ser um grande benefício e uma forte recomendação. De fato, Faulkner disse que não é incomum ele pedir a um profissional de TI que está prestes a deixar que gaste um tempo treinando o novo contratado.

3. Fique fora da mídia social. Os profissionais de TI são conhecidos por suas experiências. “Obviamente, todos estão no LinkedIn”, disse Faulkner. Mas isso não é desculpa para twittar sobre o emprego. De fato, Faulkner disse que a Cybernut Solutions “tem políticas em vigor” para garantir que os funcionários – já demitidos e presentes – permanecem discretos quando se trata de trabalhar na empresa. “Tudo isso faz parte do kit de RH entregue e assinado por nossos profissionais de TI quando contratados”.

4. Esteja pronto para abrir mão do controle. Um “contrato de trabalho e uma listas de bens da empresa contendo um smartphone e notebook com acompanhamento de números de série” é como Faulkner garante que os funcionários do departamento irão retornar seus aparelhos à companhia. “Normalmente lidamos com esse negócio antes do último salário de um funcionário”, disse ele. Mas qualquer passo que um profissional de TI pode dar para facilitar o processo é um passo na direção certa. Outra dica: um profissional de TI não deve acessar o sistema de um ex-empregador. “A tentativa de acessar informações confidenciais, uma vez que você saiu de uma empresa – mesmo que seja por uma causa totalmente honesta – pode levantar suspeitas desnecessárias.”

 

Cuidado ainda com o ímpeto de sair falando tudo o que pensa nas redes sociais, queimando a empresa ou chefia antiga e comemorando como se tivesse deixando o inferno. Além de desrespeitar os colegas com os quais trabalhou, deixa uma marca negativa na rede (difícil de apagar) onde outras empresas poderão ver, e assim acabar com sua imagem perante potenciais empregadores.

Por motivos óbvios, as empresas costumam fugir desse perfil de comportamento…

Enfim, ninguém ganha com esse jogo. Vale a pena pensar bem antes.

As quatro dicas em destaque foram publicadas pela InformationWeek.

 

Artigos que também podem lhe interessar:

Related Posts with Thumbnails