Vai dizer sim para um novo empregador? que tal pensar 10 vezes antes?

Analisar uma proposta de emprego por si só já não é facil. A tarefa se complica mais ainda quando se está empregado, completamente adaptado ao ambiente atual, ainda que não satisfeito com o rumo que a própria carreira vem levando. Perguntas e mais perguntas pipocam pela cabeça quando você tem que responder a um convite e tem medo de dar um tiro n’água, ou seja, vir a se arrepender amargamente depois. E convenhamos, os riscos são consideráveis na maioria dos casos.

Tudo bem, errar, todo mundo erra, e sou adepto da linha de pensamento de que é melhor a dor de ter errado ao tentar do que a dor de nunca ter tentado com o  “será” eternamente na cabeça, martelando: “será que eu teria me dado bem se tivesse aceitado aquela oportunidade? ah se o tempo pudesse voltar atrás…”.

Claro que é preciso tomar uma atitude com a maior lucidez possível e não simplemente dar uma de kamikaze, sem medir as consequências de suas atitudes. Para isso algumas idéias podem ajudar bastante, como as relacionadas abaixo, publicadas pela Exame. Publiquei somente a idéia principal de cada um dos dez conselhos dos especialistas até para poupar você de uma leitura muito extensa aqui.

 1. Finanças saudáveis
Investigue como anda a saúde financeira da empresa que ofereceu o convite de contratação. Com base no saldo das contas e na postura dela no mercado, você poderá avaliar se a proposta é coerente com a realidade ou não. E, a partir disso, medir o grau de risco da sua movimentação.
Se a empresa está passando por um processo de reestruturação, os riscos podem ser maiores. Por isso, é essencial avaliar a coerência do programa de reestruturação da companhia.

2. Cultura e coerência
O próximo passo é conhecer profundamente qual os valores práticos e a lógica de negócios adotada pela empresa. Após compreender a lógica por traz de cada ação da companhia, olhe para dentro de você mesmo. Veja qual é seu estilo profissional e calcule a probabilidade de ser dar bem no novo contexto.

3. Cartela de responsabilidades
Muitos que aceitam a proposta apenas pela questão salarial acabam se frustrando. Isso se deve basicamente porque os profissionais não buscam saber quais as expectativas da empresa com relação ao cargo. Por isso, é necessário compilar quais as responsabilidades e os desafios que você poderá encarar na nova cadeira.

4. Estilo de gestão
Chega, então, a hora de compreender a mente e o estilo de liderança do gestor a quem você irá se reportar, caso aceite a proposta. É a partir deste fator que você poderá prever seu grau de autonomia e até seu futuro estilo de vida.

5. Expectativas pessoais
A boa proposta de emprego é aquela que contribui para que sua carreira evolua na direção com que você planejou. A estratégia, portanto, é pensar no longo prazo. Faça um balanço das conseqüências dessa decisão para um futura movimentação dentro ou fora da nova empresa.

6. Ciclo
Avalie também se é hora de deixar o atual cargo. Toda carreira é composta por ciclos. Na construção da trajetória profissional, é preciso atenção para não deixar projetos e estágios em aberto.
Diante do convite para assumir um cargo em outra empresa, avalie se você já finalizou sua missão na atual. Dessa forma, cheque se todos projetos foram concluídos e se o caminho para a sua sucessão já está desenhado.

7. Contexto familiar
Verifique se seus objetivos pessoais são coerentes com as exigências da empresa para o cargo em questão. O profissional tem que entender o atual momento de vida e prever quais mudanças serão demandadas para o perfil familiar com o novo emprego.Por isso, no balanço final da sua decisão, aspectos como mudanças de cidade ou país e exigências na carga de trabalho devem ser considerados.

8. Perspectiva
Quer minar o risco de afundar junto com a nova empresa? Então, avalie previamente quais a perspectivas da companhia no mercado. Para isso, é preciso ir além da lógica atual de negócios do grupo e investigar as ações de longo e médio prazo projetadas pela companhia.

9. Olho na concorrência
Nesse ponto, faça uma análise do segmento em que a companhia está inserida e avalie as reais condições de crescimento dela neste contexto. O posicionamento da concorrência vai indicar o que é esperado daquele setor. Confira se as empresas têm projetos de expansão, se há rumores de novas fusões ou investimentos.

10. Pacote de compensações
Finalmente, o pacote de remuneração. Isso mesmo, de acordo com os especialistas, este deve ser o último fator da sua avaliação. No entanto, de acordo com o especialista, o profissional não deve se iludir apenas com os números. Ele deve entender como o pacote será estruturado e entender todos os mecanismos que irão recompensar seu desempenho na empresa.

Ir com muita sede ao pote pode ser muito perigoso. Muitas vezes o porte da empresa engana e nos deixamos iludir por um ou outro benefício a mais e abdicamos de adquirir uma visão de toda a situação. Isto não o livrará dos riscos, mas certamente lhe dará muito mais margem para acerto. Respire fundo, não diga sim logo de cara, ainda mais se está empregado. Não acredite em tudo que o recrutador vende para você.

A internet é uma de suas maiores armas para coletar mais informações e decidir com mais segurança. Fóruns, redes sociais, basta um pouco de paciência e organização e você encontrará muita coisa valiosa gastando pouco.

Veja mais no artigo completo da Exame. Sobre os pontos apresentados, qual na sua opinião deve ser mais cuidadosamente analisado? Você já se arrependeu por uma decisão tomada às pressas nesse sentido?

Artigos que também podem lhe interessar:

Related Posts with Thumbnails

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *