Sua carreira ou sua saúde: sem dúvida os dois

saude

Trabalhar além da carga horária prevista, horas-extras (ou banco de horas, seja o que for), férias acumuladas, quase vencendo a segunda, ou quando tira é picado, uma semana aqui, duas no mês seguinte…e para piorar aquela sensação de estar sempre deixando trabalho para trás e aquele peso na consciência ao dormir.

Como se não bastasse as jornadas semanais esticadas, em casa é o telefone que toca aos finais de semana e emails a serem respondidos. Aquele pedido indiscreto do chefe: “dá uma pensada nesse projeto no fim de semana para ver como podemos decidir…”.

A crise reforça o medo de deixar o lugar vago para ir a uma consulta médica, a pressão por resultados, o olhar de reprovação do chefe por uma saidinha, mesmo que justificada. E assim vamos protelando e dando campo para o avanço dos problemas de saúde.

Márcia Veloso Kuahara, reumatologista, especialista em qualidade de vida, diretora da Wellnex (empresa que presta consultoria na área de saúde executiva)  e professora da Universidade Nove de Julho (UNINOVE) dá uns conselhos sobre cuidados da saúde em artigo do Convergência Digital.

É irônico e ao mesmo tempo triste ver pessoas que dão tudo o que tem na fase final de suas vidas, aquele recurso financeiro economizado com tanto suor às custas do sacrifício da própria saúde, para tentar recuperá-la ao menos em parte.

Se queremos conquistar a Lua, fazendo aqui uma alusão aos 40 anos dessa grande conquista da humanidade, teremos que ter saúde para gozar dessa grande realização no final das contas, como Armstrong, posando ao lado do presidente dos EUA, Obama.

Suas realizações profissionais podem não ter a importância de tal conquista lunar para a humanidade mas certamente está custando muita saúde, na mesma proporção ou até maior. E nosso corpo mais cedo ou mais tarde vai cobrar por isso.

O segredo está no equilíbrio, buscar a reposição física, estando atento a pequeno alertas que nosso organismo emite, e mental, valorizando o descanso, o tempo consigo mesmo e com familiares e amigos. Não gaste todas as suas energias com o leão de hoje porque amanhã terá outro te esperando, inevitavelmente. É claro que “talk’s cheap”, ou seja, falar é fácil e me considero um dos primeiros a precisar de maiores mudanças nesse sentido, embora alguma coisa na prática já tenho assimilado.

 E você, já se arrependeu por não ter ido ao médico por ter se deixado influenciar por pressões psicológicas? Caso contrário, até que ponto valeu a pena?

 

Artigos que também podem lhe interessar:

Related Posts with Thumbnails

Nenhuma resposta

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *