Redes sociais produtivas nas empresas…difícil mas possível

| 16 de abril de 2010 | 2 Respostas

Redes sociais nas empresas

Dá para liberar o acesso às redes sociais na sua empresa?

O preconceito contra a utilização de redes sociais no ambiente de trabalho ainda é muito grande. Claro que existem redes sociais com objetivos dos mais variados, e há uma tendência de se colocarem todas na mesma categoria. Porém, há excelentes redes voltadas para a utilização profissional que agregam grande valor aos seus participantes, valor esse traduzido em maior produtividade, melhores resultados no trabalho.

Ao contrário do que muita gente imagina, é possivel aumentar a produtividade quando bem gerenciada sua utilização. Pelo menos é isso que uma recente pesquisa da consultoria Forrester Research revela. No relatório, as três razões mais citadas para que as pessoas acessem esses ambientes são:

  • manter-se atualizado com as notícias,
  • procurar ideias que ajudem no trabalho e
  • colher informações também relacionadas às necessidades profissionais.

A Forrester listou 4 ações que podem ser executadas pelos altos executivos de TI para que tirem o melhor proveito da utilização dessas poderosas ferramentas colaborativas:

1.    Entender as pessoas para engajá-las. Os gestores de TI precisam analisar como os profissionais agem nas redes sociais. De forma geral, a Forrester aponta para a existência de três perfis de usuários: os espectadores (que mantêm blogs ou acessam páginas para baixar vídeos ou áudios), participantes (que têm perfis nas redes sociais), críticos (que reagem a conteúdos online, com comentários e análises) e ‘conversadores’ (pessoas usuárias do microblog Twitter).

2.    Defina os objetivos. A consultoria cita que se multiplicam os casos de empresas que conseguem ter sucesso em ações nas redes sociais, graças à capacidade de atingir muitas pessoas ao mesmo tempo. Mas para ter sucesso, as iniciativas nesses ambientes precisam  estar ligadas à inovação, como criar um vídeo para encorajar os profissionais; à colaboração, com projetos nos quais as pessoas podem trocar ideias, opiniões e compartilhar documentos; à suporte, com comunidades nas quais os funcionários podem colocar perguntas e respostas; ao aprendizado, para compartilhar conhecimentos; ou ao armazenamento, transformando as redes sociais em um repositório de informações.

3.    Desenvolvimento e implementação. A partir do objetivo de negócio e da determinação de como atingi-lo, a estratégia para as redes sociais deveria se voltar para a questão de como isso pode mudar o relacionamento das pessoas nesses ecossistemas. Em outras palavras, a Forrester afirma que a preocupação precisa ser com a reação dos usuários e não com a tecnologia.

Para isso, o CIO precisa responder a algumas questões: como a iniciativa será comunicada para os profissionais? Qual será o apoio para os membros se encontrarem e ficarem conectados? Como estimular as pessoas a contribuir? De que forma os profissionais serão autorizados a criar conteúdos e colaborar entre si?

Também nessa etapa devem ser consideradas as formas de mensurar o sucesso das iniciativas, seja a partir do aumento da produtividade, conquista de novos clientes ou da redução de custos, por exemplo.

4.    Selecionar as tecnologias apropriadas. Além de descobrir as plataformas mais adequadas, nessa etapa o CIO precisa também estar preocupado em implementar políticas de acesso às redes sociais, com normas sobre quais profissionais estão autorizados a entrar nesses ambientes e qual a postura aceitável.

Da parte dos profissionais que acessam as redes sociais durante o expediente, é importante compartilhar os resultados das trocas de informações com seus gestores e demais colegas para que aos poucos  haja melhor compreensão do potencial positivo das ferramentas sociais.

Quem já não se beneficiou da experiência alheia na internet e assim conseguiu encontrar boas soluções para problemas técnicos que de outra forma seria difícil de serem encontradas ou demandaria maiores gastos para a empresa?

Da parte dos gestores, cabe a eles abrirem a mente para o mar de conhecimento disponível gratuitamente e que pode revolucionar os negócios da empresa. Mas como dito acima, devem encarar o desafio de gerí-las. O que não é fácil….

E na sua empresa, como funciona o acesso a redes sociais? As políticas são muito restritivas?

Trecho retirado do CIO

Artigos que também podem lhe interessar:

Related Posts with Thumbnails

Tags: , ,

Categoria: Carreira, Comportamento

Sobre o autor ()

Comments (2)

Trackback URL | Comentários RSS Feed

  1. A alguns dias escrevi um artigo sobre o mesmo tempo, o uso das redes sociais deveria se permitido com dosagem em seu uso, pois o seu uso em excesso prejudica o bom funcionamento da organização.

    []’s

Deixe sua Resposta

LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com