Quando o investimento em treinamento se torna um gasto lamentável

Treinamentos técnicos custam caro e poucas empresas atualmente dão algum tipo de subsídio para treinamento e/ou certificação. A crise é um dos fatores que agrava ainda mais essa questão…outro seria o descompromisso do funcionário com a empresa e vice-versa, já que o funcionário, depois de melhor preparado, resolve ir para o mercado atrás de uma oportunidade melhor.

Aí a empresa tem dois caminhos comuns: ou procura pelo funcionário pronto no mercado, já preparado ou arca com os custos dessa preparação condicionando o funcionário a algumas condições contratuais (para proteger seu investimento), que pode ser por exemplo, de que o funcionário fique pelo menos um determinado tempo na empresa após a utilização desses benefícios, sob o risco de o funcionário ter que indenizar a empresa de algum modo.

question

Aí entra sua escolha…

No lado do profissional que está em busca de uma atualização mas não quer ter o “rabo preso” com a empresa ao fazer uso desse tipo de benefício oferecido, terá que meter a mão no bolso, não tem jeito. É o preço da liberdade…

Antes que você pague caro demais por essa liberdade e ela ainda não chegue, quero deixar 3 perguntas para sua reflexão antes de fechar negócio com algum centro de treinamento:

1 – Terei oportunidade utilizar o aprendizado desse curso no cargo em que estou atualmente?

Conhecimento é sempre bom, mas para um investimento tão alto, que é um curso na área de Tecnologia, é caro demais para simplesmente conhecer por conhecer…ou você está disposto a por em prática o que aprendeu, ou em questão de poucos meses não haverá muitas lembranças (boas) desse sacrifício. Nosso cérebro faz bem o serviço: descarta da memória o que não utiliza depois de um certo tempo. (Leia o artigo do Dr. Roberto Godoy no site do Drauzio Varella sobre os mecanismos da memória, embora um pouco longo, é excelente para complementar o que estamos discutindo aqui.)

2 – Estarei disposto a mudar de emprego, mesmo que seja com uma condição salarial menor, para poder ganhar experiência na tecnologia recém-aprendida?

O treinamento em si não torna alguém um profissional naquela tecnologia, mas a vivência, o contato diário com a tecnologia é que vai lapidá-lo tornando-o alguém de muito valor no mercado. As pessoas gastam fortuna em cursos longos e cansativos e na hora de “marcar o gol”, não tem a coragem de mudar de emprego para realizar seu sonho.

3 – Estou disposto a tirar certificação (do fabricante) após conclusão do curso?

Enquanto comparecemos aos treinamentos, nossa atuação é muito mais passiva que outra coisa. Vejo muita gente participou de milhares de treinamentos, e muitos longos, mas por muitos motivos (falta de tempo??) resolveu protelar o exame de certificação. Ora, se já está fazendo o negócio, por que não fazer direito? A cerificação garante um conhecimento mínimo do produto por parte do profissional, a garantia que o empregador precisa para saber o que está comprando ao contratar você.

Pese essas questões antes de investir seu dinheiro, veja se você está disposto a assumir alguns desses caminhos, a pagar o preço do sucesso e realização profissional. Como diria alguém bem sucedido, “todo o mundo quer ter o que eu tenho e seu o que sou, mas ninguém está disposto a passar pelo que passei para chegar até aqui”.

Claro, há muitas outras questões envolvidas nisso, por isso lhe convido a dar sua opinião…o que mais você poderia acrescentar que julgue importante pensar antes bater o martelo num investimento desse tipo?

 

 

Artigos que também podem lhe interessar:

Related Posts with Thumbnails

Discussão

  1. Ygor
  2. Vinicius
  3. Rodrigo França
  4. Ygor
  5. Vinicius