O que fazer quando os chefes não se entendem e sobra para você?

Que chefia mais complicada hein?! Quem aí, profissional já experiente, rodado nesse mundo corporativo, não topou com um chefe difícil de se lidar? agora imagine mais de um, os quais lhe dão ordens ao mesmo tempo, contraditórias, que não falam a mesma língua entre si? Eu já tive o desprazer de trabalhar nessas condições, e afirmo categoricamente que é uma situação de estresse absoluto.

E não poderia ser diferente. Sempre tinha alguém descontente por sua prioridade ter sido rebaixada. E adivinha quem mais saía perdendo nesse jogo de poder? o pobre do subordinado aqui.

Esse despreparo vem parte daquele pessoal talentoso tecnicamente, que se mete na posição (ou é empurrado nessa situação) de gestor de equipe.

Aí quem está embaixo que se vire para sair das inúmeras saias justas que aparecem com bastante frequência, já que esse pessoal acha que a experiência lhe isenta da necessidade de aprendizado quanto a habilidades relacionadas a gestão de pessoas e comunicação.

O site da Exame, do grupo Abril, separou algumas dicas interessantes de como se sair bem dessa situação embaraçosa (ou ao menos sobreviver no emprego), que vale a pena refletir. Procurei destacar os pontos-chave das sugestões apresentadas por acreditar que resumem bem cada tópico apresentado.

Organização do tempo

“O profissional tem que atender dentro do possível. Caso o prazo apertar, o ideal é sentar com os respectivos chefes, conversar e definir o que é melhor priorizar”, ensina Renata.

Caxito recomenda falar claramente aos superiores quanto tempo está dedicando a cada tarefa. “Se o profissional tem acúmulo de tarefas é melhor admitir que não pode assumir mais responsabilidades agora. É melhor se organizar e entregar tudo com qualidade”, completa ele.

Diálogo aberto

Segundo os especialistas é imprescindível que exista espaço para o diálogo. “Vale sugerir reuniões periódicas de curta duração para conversar sobre as prioridades da semana, por exemplo”, afirma Renata. Ou então recorrer ao e-mail, que acaba sendo uma forma de deixar as conversas registradas.

Para evitar saia justas

Igualdade entre os chefes. Essa é a chave para evitar desentendimentos e a sensação de que o profissional está trabalhando mais para um do que para o outro. “O grande problema, é quando a dedicação é medida por tempo e não por resultado”, diz Caxito. Para o professor é importante que os resultados falem pelo profissional e que este saiba reportá-los na hora certa quando cobrado.

Outra atitude indispensável para Renata é dar o mesmo tratamento e ser cordial com todos. Além de manter sigilo sobre assuntos que dizem respeito a cada superior, para não causar intriga.

Talvez agora vocë não possa trocar de emprego por um milhão de motivos. Então o que fazer, sentar e chorar? fingir que nada está acontecendo? enfrentar os chefes numa guerra de insultos? Qualquer uma dessas atitudes vai minar suas energias, paciência, saúde, de modo que não lhe restará muito ao final.

Todos nós temos muito trabalho, já basta o estresse diário, inerente à rotina de trabalho. Não podemos apenas aceitar de cabeça baixa a forma como somos conduzidos, como neste caso em que estamos discutindo. Gerencie sua situação, esteja no comando, caso seus chefes não pareçam preparados para isso e batam cabeça o tempo todo.

As 3 dicas em destaque foram divulgadas pela Exame.

Artigos que também podem lhe interessar:

Related Posts with Thumbnails