Copa, Olimpíadas e muito investimento no Brasil

olimpiadasrio2016_tecnologia

Não podemos de deixar de citar aqui a grande conquista do Brasil ao ser eleito a sede das Olimpíadas de 2016 e as grandes transformações tecnológicas e sociais que deverão afetar não só o Rio, mas o país todo.

As expectativas de investimentos na região são muito boas por sinal: podem chegar a 90 bilhões de reais, segundo estimativas do comitê organizador.

E tão importante quanto o período pré-olímpico, quando os investimentos já começam a vir, são os legados deixados para o país. Veja alguns resultados de estudos sobre impacto da realização da olimpíada em outros países:

Segundo o estudo realizado pelo professor Roberto Brito de Carvalho, das faculdades de economia e turismo da PUC-Campinas (SP), a realização dos Jogos Olímpicos gera uma publicidade espontânea com a divulgação do evento que aumenta o fluxo de turismo, não necessariamente no mesmo ano do evento. A Austrália, por exemplo, em 2000, quando foram realizadas as Olimpíadas de Sydney, registrou um crescimento de 11,95% na média de turistas.

Na Espanha, o pico chegou a 21,69% em 1994, dois anos após os Jogos de Barcelona.
O professor Marcelo Proni, do Instituto de Economia da Unicamp, um dos autores de um outro estudo sobre os efeitos das olimpíadas, divulgado no ano passado pelo Ipea, cita ainda outros impactos. Os Jogos de Pequim (2008) colaboraram para o crescimento da infraestrutura chinesa em tecnologia da informação, sistema bancário e setor de serviços.

Em Sydney, foram implantadas técnicas de reaproveitamento de água, energia e lixo. “Podemos acelerar o processo de recuperação da nossa cidade. Essa recuperação já vem ocorrendo, mas, com as Olimpíadas, esperamos mais investimentos para o Rio”, diz o prefeito Eduardo Paes.

Problemas haverão, assim como todo grandioso projeto. Há muita gente contra e a favor das olimpíadas no Brasil, e todos tem suas razões, sejam elas justas ou não para uma ou outra parte.

Acredito que a vitória do Brasil ao sediar uma olimpíada significa muito mais do que aparenta: representa um quebra de paradigmas e pre-conceitos sobre a capacidade de alguém, um grupo, uma nação de realizar um trabalho com excelência (ou uma olimpíada pode ser feita de qualquer jeito?), a despeito de seu sofrido passado e mazelas sociais que ainda enfrenta no presente.

Superfaturamentos, desvios de dinheiro, políticos se esbaldando, não imagino que o fato de o Brasil sediar ou não esse grande evento faria com que isso fosse diferente. O que vai mudar isso é a educação e só. E leva tempo.

Trazer tecnologia – que é o que o evento vai fazer com que aconteça –  para a população mais carente (como a democratização do acesso a internet na região, parcerias reforçadas para disseminação de novos projetos de inclusão digital entre outras ações) faz parte desse processo educativo e vai ajudar acelerar a limpeza de muitas imundíces nas esferas políticas.

Conhecimento traz esclarecimento, e se é a população mais carente quem elege os governantes (como de fato é), nada mais natural, e urgente.

Ainda segundo Ministério do Trabalho, cerca de 120 mil empregos por ano serão criados até 2016, em todo o Brasil,por conta da Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016.

Copa 2014, Olimpíadas 2016…e tem mais ainda: ogos Mundiais Militares em 2011 e a Copa das Confederações em 2013!

Realmente os próximos anos prometem para o Brasil. Cabe a todos nós saber aproveitar as oportunidades que surgirão, embora sabemos que não serão poucas.

Artigos que também podem lhe interessar:

Related Posts with Thumbnails

Discussão