Formar contingente de técnicos em TI pode ser um bom caminho para suprir a demanda do mercado…mas onde estão os bons cursos?

O curso técnico no Brasil é uma opção mais acessível a quem deseja seguir uma carreira profissional na área de TI, mas sofre ainda grande preconceito. Tanto por parte de muitas empresas que ainda preferem a todo custo alguém que esteja cursando ou tenha já um diploma de nível superior na área de Tecnologia da Informação (departamentos de RH com pouco conhecimento do mercado, é o que penso), seja ainda pela população em geral, que ainda acha que o técnico é concorrente do universitário no que concerne à concorrência às vagas de TI.

Fato é que o tradicional curso técnico na área de TI tem papel importante mesmo em países de primeiro mundo, como bem ressaltou o canadense Bill Elliot, vice-presidente de desenvolvimento de negócios da Canada’s Technology Triangle (CTT) Inc. do Canadá ao participar do evento Talentos 2.0:

Segundo o site Convergência Digital

…para o especialista, a maioria das economias ocidentais está vendo o envelhecimento da sua força de trabalho. “Todos estamos preocupados com a falta de mão de obra na área de TI, não apenas o Canadá ou o Brasil, esse é um problema mundial”, completou. A antiga disputa entre o tecnológo – com curso técnico de dois anos de duração – e o engenheiro da computação voltou à mesa no painel.

Frederico Novaes, decano do Centro de Engenharia de Software e Banco de Dados do Instituto Infnet, salientou que o preconceito imposto ao tecnológo é um equívoco do mercado nacional. “Tenho cursos com 2000 horas de formação. temos consciência do profissional técnico que estamos preparando. Precisamos de engenheiros da computação, mas também queremos técnicos para continuar crescendo”, salientou Novaes, lembrando que o curso de TI não está entre os 10 mais na preferência dos jovens.

O problema está mais mesmo no sucateamento de nossas instiuições de ensino, que no caso de cursos de nível técnico, principalmente, deveriam ser mais dinâmicos e responsivos às necessidades do mercado de trabalho. Fazer um curso técnico meramente por fazer, ou por causa do preço somente, não resolve o problema de quem precisa de um emprego na área. Tem que se buscar qualidade, e nesse sentido, não temos muitas boas opções no mercado.

Caso contrário, continuaremos ver a incoerência no nosso país, com milhares de jovens desempregados (muitos desses com curso técnico), ao mesmo tempo em que temos outras milhares de vagas sem serem preenchidas, e o que é pior, sem expectativa a curto prazo de mudança.

Que nossos governantes não fiquem somente na falácia sobre esse assunto de apagão de mão de obra em TI, que já encheu. Esperamos que haja mais ação, investimentos, parcerias, para que efetivamente tenhamos mais e melhores opções para nossos jovens entrarem na área de TI e o país passe a progredir melhor tecnologicamente, o que inevitavelmente afetará de forma positiva todos os demais setores da economia.

O destaque no texto acima é do site Convergência Digital.

Artigos que também podem lhe interessar:

Related Posts with Thumbnails

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *