Evasão escolar nos cursos de TI preocupa: como combater isto?

Segundo pesquisa recente publicada na 5ª edição do Índice Brasscom de Convergência Digital (IBCD), apresentada pela Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), a evasão escolar nos cursos superiores de tecnologia chama a atenção negativamente. Apenas 18% dos alunos das mais de 460 mil vagas conseguem concluir o curso superior, o que dá um total de 85 mil estudantes.  

Os motivos da evasão foram indicados como os seguintes:

  • a falta de perfil em tecnologia,
  • a falta de base matemática na escola regular.
  • a baixa concorrência de alunos por vaga em cursos de graduação em tecnologia

Desses 85 mil estudantes formados, quantos não estão atuando em área adversa da de Tecnologia da Informação? Isto mostra como a situação pode ser um pouquinho pior. A disparidades de oferta e demanda de profissionais é detalhada no parágrafo abaixo:

Segundo o artigo da TiInside:

A evasão escolar se reflete diretamente no mercado profissional do setor de TI que, embora empregue atualmente 600 mil pessoas, apresenta déficit de quase 92 mil profissionais para esse ano, de acordo com projeções do Observatório Softex. Mantendo-se o quadro atual, o déficit pode chegar a 200 mil em 2013. Para alcançar a meta de aumentar em 50% o peso relativo do setor de Tecnologia da Informação no PIB até 2020, o País precisa enfrentar o desafio de formar mão de obra tecnológica e com conhecimento da língua inglesa para, então, incorporar cerca de 750 mil novos profissionais ao mercado, sendo 450 mil para o mercado interno e 300 mil em atividades para exportação.

A educação básica, precária no Brasil certamente é um dos maiores empecilhos para o desenvolvimento do setor de TI no país, como também foi mencionado pela Brasscom. Veja essa situação, comum entre os alunos formados: o aluno se prepara mal na educação durante a infância e adolescência. Vai para um curso de nível superior (para estudar à noite) cuja oferta de vagas é alta devido ao preço das mensalidades e fraca reputação da faculdade, que pouco exige dos alunos.

Como os alunos trabalham durante o dia, moram em geral longe da faculdade, têm uma renda que não ajuda muito na compra de bons livros (e devem incluir-se aí livros novos, coisa que as faculdades deveriam oferecer), os professores fazem vistas grossas às notas dos alunos em provas e trabalhos (quando têm), nivelando-os por baixo, relevam seus fracos desempenhos e os aprovam.

No mercado de trabalho vem a surpresa: tem vagas disponíveis mas muita gente desempregada. Tudo porque o aluno tem só o diploma, cuja formação não lhe permite passar em testes básicos de lógica em seleção. Ou seja, desses 85 mil teoricamente formados, quantos realmente se formaram?

Formar por formar não resolve o problema. Não adianta pensar num bom telhado se o fundamento da construção não for sólido, confiável. Das mesma forma na educação. Ou o Brasil resolve tratar o ensino fundamental e médio com seriedade, atacando os problemas de maus salários e baixa formação e condição de trabalho dos próprios professores ou essa situação se repetirá ano após ano. E cada vez mais nosso país será inundado de estrangeiros, contratados para ocupar os melhores cargos nas melhores empresas em nossas terras. Quanto ao resto de nós: a maioria deverá se contentar com sub-empregos na área de TI.

E você, qual acredita ser o maior motivo de evasão escolar? o que mais o governo e a sociedade poderiam fazer para combater esse mal?

Os dados acima foram divulgados pela TiInside.

Artigos que também podem lhe interessar:

Related Posts with Thumbnails

5 Comentários

  1. Luiz Henrique K
  2. Luciano
  3. Heden
  4. Edilson
  5. Anon

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ebook Grátis: O Segredo para conseguir os melhores empregos

Atenção: Edição por tempo limitado!