Dicas essenciais para você acelerar o aprendizado de um novo idioma

 Você fala um segundo idioma fluente? Muitos que se proclamam fluentes ou num nível avançado num segundo idioma não são capazes de preencher o balão acima com uma frase espontânea em inglês ou outro idioma diferente da lingua-mãe. É o tal do exemplo do  “Hello World!”, tão conhecido por programadores e estudantes do assunto. É comum um estudante fazer um pequeno programa apresentando essa mensagem quando é iniciante numa determinada linguagem de programação.

Com um novo idioma ocorre coisa semelhante: muitos não passam do “Hello World!”, ou seja, o básico, e se acomodam com isto. Depois começa um novo curso de outro idioma, que também acaba não saindo do básico. Isto ocorre bastante com aquelas promoções tipo “adquira um módulo de inglês, ganhe um de espanhol totalmente grátis e 50% no módulo de francês!”. Aí já viu o resultado: se um idioma já é difícil por toda questão que envolve o aprendizado, imagine três!

 O site ITWeb publicou as dicas abaixo, que compartilho com você. Podem ajudá-lo bastante no processo de aprendizado de um novo idioma ou ainda retomar aquele curso parado. Muitas delas tenho utilizado em minha estratégia de aprendizado:

  • Em linhas gerais, o aluno deve evitar uma atitude passiva pensando que a escola vai ensinar-lhe tudo o que deseja aprender e buscar recursos adicionais que permitam impulsionar o conhecimento na língua;
  • Usar e abusar de recursos de áudio e vídeo sobre temas variados no idioma pretendido, seja por meio de programas de televisão, rádio, cinema ou podcasts;
  • Participar de grupos de conversação, seja presencialmente ou online;
  • Cultivar amizades com pessoas estrangeiras, mesmo que seja pelo Skype, Facebook ou outras redes sociais;
  • Aproveitar os recursos de redes sociais como a http://www.lingq.com/, dedicada ao aprendizado de idiomas;
    Pessoas que buscam cursos tendo em vista melhorias profissionais, devem averiguar a existência de treinamentos dedicados à área em questão;
  • Senão tiver tempo para aprender a língua de forma fluente e avançada, desenvolver competências parciais, como somente saber ler ou escrever.

Achei especialmente interessante a última dica, que trata do desenvolvimento de competências parciais. Às vezes nos apegamos muito no tudo ou nada, e devido a falta de tempo, dinheiro e outros fatores, ficamos para trás ao deixar de estudar porque não dispomos de recursos suficientes para bancar um curso ideal.

Hoje em dia, no mercado de trabalho é muito valorizado a questão do inglês técnico, por exemplo. Falar fluentemente na verdade não é tão exigido assim no mercado, a não ser para posições mais estratégicas. Basta ver nos sites de empregos. Não é tão fácil assim achar uma vaga com requisito de inglês fluente imprescindível, mandatório. A gigantesca maioria trata de inglês como desejável, preferível, um diferencial. 

Ter um bom inglês técnico, sendo neste caso uma competência parcial, vale muito a pena sim. Não é um fator diferenciador, mas te coloca em pé de igualdade para disputar com outros candidatos quanto às competências que mais importam ao empregador. Portanto, não desanime, crie uma estratégia e busque seus objetivos por degraus: aprenda inglês técnico e mais para frente se preocupe com falar ou não fluente.

Este assunto dá uma boa discussão, sem dúvida…E você, como tem visto a exigência de um segundo idioma no mercado? e na sua empresa? E quais estratégias tem utilizado para se desenvolver nesse sentido?

Artigos que também podem lhe interessar:

Related Posts with Thumbnails

2 Comentários

  1. Maicon
  2. Vinicius

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *