Mantendo a pose: Saiba como pedir demissão com profissionalismo

| 31 de maio de 2010 | 7 Respostas

demitindo_se_patrao_carreira

Sua paciência acabou e você foi para o mercado em busca de nova oportunidade. Encontra uma que atenda melhor suas expectativas de carreira após longos e estressantes processos de seleção. Tudo certo e agora chega a hora de enfrentar seu atual chefe para lhe posicionar quanto a sua decisão.

Muita calma nessa hora… Talvez você tenha nutrido aquele sentimento de desengasgar tudo aquilo que você queria dizer antes mas não podia por muitos motivos. Mas pense bem se essa é realmente a melhor a atitude a se tomar. Especialistas falam muito em profissionalismo até em momentos de “demissão”, como esse (onde você demite sua empresa, digamos assim…).

Veja abaixo como se sair bem dessa situação sem comprometer sua imagem, afinal o mundo dá voltas e as chances de você voltar a trabalhar com antigos colegas não são pequenas, pode acreditar…

Tempo para reorganização sua…e de seu atual empregador!

Sua empresa atual precisa de um tempo para recolocar algúem em sua posição. A frase popular “cuspir no prato em que comeu” cabe muito bem nesse tipo de situação, onde o funcionário, que julga ter seus motivos de estar chateado com o que passou na empresa, que se sinta injustiçado, acaba por deixar seu atual empregador na mão, sem tempo hábil para organizar a casa colocando alguém a altura para substituí-lo ou pelo menos que assuma suas tarefas mais críticas.

Em média, propôr um período de quinze dias ao atual empregador é bastante comum, mas pode variar muito em função da criticidade do negócio, dificuldade de se encontrar um substituto no mercado além de outros fatores. E não dá para estender muito, até porque quem contrata, em geral não tem muito tempo a perder. É o tal negócio: entraves burocráticos faz com que processos seletivos se arrastem por meses,e quando sai, exigem que o candidato comece “ontem”…

Gratidão faz bem…pra quem dá e pra quem recebe

Lembre-se que essa mesma empresa lhe ajudou em seu crescimento profissional lhe dando uma experiência mais sólida para enfrentar novos desafios. Se ainda assim você não se convencer de que deve ser grato, tente pensar em tudo que você viveu, as crises e momentos de alegria e coleguismo que passaram juntos… Isto não significa que deve ignorar as coisas que deram erradas, mas nesse momento pouco ajuda “jogar na cara” o que você acredita estar errado. Atitude positiva e deixar ressentimentos de lado vai fazer diferença na sua nova fase na carreira.

Num artigo do Globo há algumas dicas interessantes para não pisarmos na bola num ponto tão crucial para a carreira como esse:

- Antes de tomar qualquer atitude, o funcionário deve pesar prós e contras e avaliar o impacto que a saída pode ter no currículo – aconselha Bráulio Candian Jr., consultor de Treinamento Corporativo e executivo de Marketing e Projetos especiais da Sampling Planejamento.

De acordo com especialistas, o primeiro passo é marcar uma reunião com o gestor para comunicar escrita e verbalmente os motivos do pedido de demissão, como oportunidade de crescimento e aumento de salário, entre outros. Clareza, objetividade e sinceridade são fundamentais nessa hora.

- O empregado deve estar seguro da decisão que está tomando, pois seu chefe pode lhe valorizar mais do que esperava, fazendo uma contraproposta. Ser sincero pode mudar o rumo da conversa, com o surgimento de uma oportunidade inesperada. É um ótimo momento para negociar, e a pessoa deve estar preparada para decidir se sai ou permanece na empresa.

Outro coisa: cuidado com blefe e com promessas vazias. Somente formalize sua saída quando tiver certeza de que está contratado pela outra empresa.  Entenda-se por contratado quando disserem frases do tipo: “você pode começar ná próxima segunda-feira”. Tem que ter data de início e toda aquela documentação de pré-contratação em andamento. Porque depois que anunciou a saída, aí amigo, para voltar atrás….ainda que seu chefe o aceite de volta, o clima dificilmente é o mesmo. Não dá para brincar com isso.

E você, já passou por uma situação dessas onde teve que comunicar seu chefe sobre sua saída para outra empresa? O que considera mais importante em todo esse processo?

Artigos que também podem lhe interessar:

Related Posts with Thumbnails

Tags: , ,

Categoria: Carreira, Comportamento

Sobre o autor ()

Comments (7)

Trackback URL | Comentários RSS Feed

  1. Simone disse:

    Olá!
    Eu pensei muito antes de tomar a decisão de sair da empresa na qual trabalhei por 12 anos.
    Mas, depois da decisão tomada, escrevi uma carta com tudo que tinha feito durante minha vida profissional na empresa e marquei uma reunião com meu diretor. Durante a reunião, estava difícil dizer em palavras claras que eu não me via mais trabalhando na empresa dali a alguns anos. Então, em certo momento da conversa, eu disse objetivamente o que pensava: que a minha missão naquela empresa estava chegando ao fim e que eu sentia necessidade de trocar de ambiente, de ser desafiada por novos projetos em diferentes organizações. Tudo dito, elaborei um plano de transição e como eu não tinha nada em vista no mercado, fiz o processo seletivo para substituição e também o processo de migração de conhecimento. Dois anos depois da conversa, desliguei-me da empresa e agora estou focada nas operações da minha empresa que abri recentemente para possibilitar a prestação de serviços de TI ao mercado.
    Em todo este processo, o que fica é que devemos pensar muito antes de tomar uma decisão (escrever ajuda), devemos também nos preparar para a mudança caso não tenha nada em vista (economizar para o tempo de vacas magras..rs), conversar com calma e sinceridade com seu gestor sobre o seu desligamento, disponibilizar-se para a empresa e para o seu substituto (se houver) quando necessitarem de alguma ajuda. Tudo isso, deixa você mais leve e de bem consigo mesmo para partir em busca de novos desafios que te façam feliz!

  2. Silvano disse:

    @Simone, Bom dia, Simone !

    Concordo plenamente com o que voce postou. Coincidentemente atuo em TI (ERP) na mesma empresa por quase 10 anos e sinto que também atingi este ponto de buscar novos desafios. Depois de tanto tempo, uma relação sólida de confiança foi estabelecida. Acredianto nisto, tive tambem uma conversa franca com o gestor da empresa e fui apoiado nesta decisao. Os planos estao sendo elaborados e procuro manter o otimismo acreditando que conseguirei chegar la. A intencao é a mesma: abrir o proprio negocio e prestar servicos de TI, na área de ERP, em parceria com a empresa em que estou.

    Concordo tambem com o fato de que, neste momento de desligamento / transicao é importante ser profissional, para que a relação de confiança e parceria não sejam abaladas e as portas fiquem sempre abertas, além de adquirir para sí tranquilidade e consciencia limpa, na certeze de que realizou um bom trabalho.

    Sucesso para voce!

  3. Vinicius disse:

    @Simone, muito legal sua experiência nesse sentido, todo esse planejamento com certeza mantém muitas portas abertas e cultiva uma excelente imagem para seus negócios. Serve de exemplo para quem queira tomar uma atitude desse tipo…obrigado!

  4. luci disse:

    trabalho há 03 anos numa empresa onde minha carteira é assinada(comissionada)quero pedir demissão,eu tenho direito a receber seguro desemprego?

  5. Junior disse:

    Essas são palavras de chefes que não valorizam seus colaboradores, pois se a empresa ofereceu oportunidade foi porque o funcionário é capacitado para tal, “deixar a empresa na mão”, é a maneira mais clara de mostrar o quanto o colaborador fará falta. Quando a gerencia tem profissionalismo, não há porque pedir demissão. Obrigado.

Deixe sua Resposta

LinkedIn Auto Publish Powered By : XYZScripts.com