6 dicas para controlar suas emoções durante a entrevista de emprego

Nervosismo em entrevistas ocorrem, é bastante comum…talvez muito poucas pessoas que passaram por uma entrevista de emprego tiveram controle total sobre suas emoções sem ao menos demonstrar essas sensações tão indicadoras de uma insegurança que muitas vezes pode não existir no profissional no dia-a-dia. Pode ser apenas reflexo da pressão daquela situação e não necessariamente sinal de falta de confiança em seu potencial ou mesmo inaptidão para ocupar determinado cargo.

Porém, o controle emocional durante uma entrevista costuma definir muito sobre quem ficará com a disputada vaga. A despeito de seu nível de conhecimento e habilidade ser superior a seus concorrentes, o fato é que a imagem inicial mostrada durante a entrevista pode ser a única se você não puder demonstrar confiança durante a apresentação aos selecionadores.

São alguns minutos preciosos demais para serem jogados fora por causa de despreparo emocional. É a sua chance de ouro, e tem que saber dar tudo de si naquele momento, sem pestanejar. Por isso, resumi aqui os 6 pontos divulgados pela INFO, sobre dicas valiosíssimas para que você se prepare para aquela oportunidade de ouro e realmente tenha consciência de ter dado o melhor de si em busca da vaga:

1. Conheça a si mesmo. Avalie a oportunidade
A estratégia número 1 para dar um baile no gelo na barriga na hora da entrevista é ter  consciência sobre as próprias habilidades profissionais e pessoais. Esse é o momento para ser honesto consigo mesmo e com os critérios que definiu para construir a própria carreira.
De nada vale apostar em uma oportunidade de emprego que não seja coerente com o seu perfil profissional. De acordo com Pavani Jr, candidatos que não possuem as características exigidas pela empresa têm mais chances de ficar ansiosos durante a entrevista de emprego.

2. Atenção às preliminares
Entrevista de emprego pede preparo, mas isso não significa que você deve virar a noite revisando todos seus resultados ou as políticas da empresa. Uma boa noite de sono é uma excelente pedida para quem, no dia seguinte, vai encarar um processo decisivo para a carreira.
Além disso, fique atento para a alimentação. Prefira alimentos leves e beba muito líquido. “Por mais animado que você esteja, seu corpo vai dar sinais letárgicos de que você se alimentou com uma feijoada, por exemplo”, diz Nany. Fuja também de situações estressantes – nem pense em passar as horas anteriores à entrevista em uma fila de banco. E não perca os olhos do relógio. Atrasos instigam a  combustão perfeita para uma explosão de ansiedade durante a entrevista.

3. Silencie-se
No caminho para o lugar onde será feita a entrevista, concentre-se na sua respiração. Para relaxar, opte por movimentos de inspiração e expiração profundos e pausados.
Para lidar melhor com o tempo na sala de espera, tenha sempre uma boa leitura à mão. Vale levar um livro de literatura ou uma revista semanal. Mas, cuidado, para não acabar com sua reputação com esse simples item.

4. É uma via de mão dupla
Durante a entrevista, não pense que você é o único na berlinda. Do outro lado da mesa, o recrutador também está com os dedos cruzados torcendo para encontrar um profissional compatível com o perfil procurado pela empresa.
Dessa forma, não entre na sala com a sensação de que você terá que implorar pela oportunidade. Antes, comece o bate-papo com o recrutador com a certeza de que aquele momento também é decisivo para ele e de que a sua única missão é se mostrar interessante o suficiente.

5. Não se deixe levar
Mostrar-se interessante, contudo, não significa encarnar um personagem que não é você. Se, na hora da entrevista, a ansiedade é sua pior inimiga, a espontaneidade é a melhor parceira. “Na entrevista é comum que o medo de não ser aprovado domine o candidato. E isso é percebido facilmente pelo recrutador”, diz.

6. Use a seu favor
Segundo o especialista, a inteligência emocional, ou a capacidade de lidar bem com as próprias emoções, deve ser desenvolvida ao longo de toda a vida.
E as fases de um processo de seleção podem ser bons momentos para lapidar essas competências emocionais. Por exemplo, o fato de não ser aprovado em uma entrevista de emprego pode ser uma boa oportunidade para repensar a própria trajetória profissional.

Deixar uma boa impressão durante a apresentação sem contudo ser ou soar falso. Esse seria o ideal, embora seja mais fácil falar que fazer, não é?

Os problemas particulares enfrentados muitas vezes acabam por influenciar negativamente durante a entrevista, carregando nossas palavras de negativismo e derrota, ainda que não expressemo-las diretamente. Reflita sobre os processos nos quais não foi aprovado e veja se seu comportamento não possa ter influenciado o selecionador de modo que o fizesse ser preterido…e boa sorte!

E você, acrescentaria mais algum conselho nesta relação? Qual ponto considera mais relevante? 

Os 6 pontos citados acima foram divulgados pela INFO Abril

Artigos que também podem lhe interessar:

Related Posts with Thumbnails

Nenhuma resposta

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ebook Grátis: O Segredo para conseguir os melhores empregos

Atenção: Edição por tempo limitado!