Conselho Federal de Informatica: Uma realidade próxima

 A turma de TI espalhada pelo Brasil afora sempre reclama da falta de representatividade  e regulação das profissões de TI…bom, parece que temos uma luz no fim do túnel. Um projeto de lei está tramitando no Senado Federal e tem como objetivo regulamentar o mercado profissional de Tecnologia da Informação, conforme noticiou a ComputerWorld. O que antes abrangia somente a profissão de analista de sistemas, foi expandido para regular diversas profissões em TI, atitude esperada e inteligente, diga-se de passagem.

Conselho Federal de Informática (CONFEI)

Esse é o conselho que se pretende criar, a exemplo dos tradicionais conselhos como o CRM, CRO, CREA, e por aí vai. A sua função é identificar as especializações dos profissionais de informática e estabelecer suas denominações e atribuições, além de julgar profissionais acusados de quebra de ética.

E a grana pra isso?

Bem, quanto ao dinheiro, como ocorre nos órgãos citados acima, vai ter aquela contribuiçãozinha anual cobrada dos profissionais inscritos.

E os profissionias de  nível técnico?

Também estão inclusos no projeto, porém, cabe algumas regras:

  • O profissional teria de ter diploma de ensino médio do curso técnico de informática, de programação de computadores, ou:
  • exercer a profissão por, no mínimo, quatro anos.

Porém, polêmica não vai faltar num projeto tão abrangente e importante como esse. Já estão questionando quanto a liberdade de exercício da função. Maurício Mugnaini, e da Sociedade Brasileira de Computação (SBC), José Carlos Maldonado, se posicionaram contra o projeto alegando que outros profissionais, como dentistas, engenheiros, por exemplo, estariam privados do exercício da atividade na área de TI.

Agora ,quando levado ao plenário para votação, já é uma incógnita no momento. Porém, vale a iniciativa.

Que a criação de um órgão dessa magnitude para amparar os profissionais de TI é muito importante e um grande avanço, isso concordo plenamente, mas isso criaria restrições sérias para a demanda já reprimida pela falta de profissionais no mercado, impedindo o exercício da atividade de muitos profissionais competentes sem a devida formação. Quem sabe a lei poderia permitir durante alguns anos o exercício da função para profissionais que possam comprovar vínculo com instituições de ensino credenciadas pelo MEC, de forma a se adaptarem à futura lei que almejamos que seja aprovada?

O que você acha? dê sua opinião! 

Veja notícia na ComputerWorld, onde este artigo faz referência.

 

Artigos que também podem lhe interessar:

Related Posts with Thumbnails

46 Comentários

  1. Thiago
  2. Vilmar
  3. aldenor nunes
  4. Alexandre Silva
  5. Alexandre Silva
  6. Vitor Dias
  7. Vinicius
  8. Kaio Andrade
  9. Vinicius
  10. Afranio Nascimento
  11. Junior Oliveira
  12. Junior Oliveira
  13. Marcinha de Souza
  14. Luis Falcao
  15. Luis Falcao
  16. Guilherme S
  17. Andre Castro Alves
  18. RESENDE
  19. Maurício
  20. Marcelo Moreira
  21. Fernando Nedel
  22. VICTOR CARLETTO
  23. Claudinei
  24. Rafael
  25. felipe
  26. Fábio Jordão
  27. sergio bento
  28. Domingos Paes
  29. Eduardo
  30. Ralph Ronny
  31. Fernando
  32. Paulo Diogo
  33. Paulo Diogo
  34. Hermes Jr
  35. MATEUS BRITO
  36. RONIE
  37. Luciano
  38. Alexandre
  39. Mucuri
  40. Fábio Jacomini
  41. Ric
  42. Raimundo Braga
  43. Alex Newman

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ebook Grátis: O Segredo para conseguir os melhores empregos

Atenção: Edição por tempo limitado!