Como Fazer a Carta de Apresentação que Vende e Convence: Prepare-se para Fascinar a Recrutadora

A carta de apresentação é uma ferramenta poderosa e de grande impacto, se bem explorada pelos candidatos. Um escritor americano comparou uma carta de apresentação bem feita a dar flores para a MÃE da namorada(o) no primeiro encontro. É pra surpreender ou não? Bem, acho que você captou o IMPACTO da carta de apresentação agora, rs..

O seu poder se deve ao fato de ela não ser convencional e cheia das obviedades que os currículos costumam apresentar, muito por não se prender àquela estrutura rígida.

Nos dias de hoje, pouca gente dá importância a carta de apresentação. “Ah, mas o recrutador não pediu…”. Ora, é natural que ele não peça, pois não é um requisito obrigatório, mas por outro lado, está longe de significar que você não deve enviar uma, certo?

Eis o ponto chave: se ninguém mandar mas você sim, a sua candidatura se destaca

O fato de pouca gente dar atenção a isso não pode ser um motivo para você deixar de fazê-lo – é justamente o contrário: isto mostra que sua candidatura terá chances maiores de se destacar na multidão de currículos.

Agora vejamos por outro lado: o recrutador não pede a carta de apresentação, você não manda, mas a maioria dos candidatos sim. Qual a impressão que ela terá sobre os candidatos que não enviaram? Certamente não será tão boa quanto do outro grupo…

Seguindo esta lógica, uma carta de apresentação, somente por estar presente, já chama a atenção, mas obviamente você vai precisar trabalhar um pouco mais nela para que mereça alguns minutos do precioso e disputado tempo da recrutadora. Você vai saber como…

Porém, cabe um alerta:

A carta de apresentação não é uma cópia do resumo do seu currículo ou parte dele, senão, para que enviá-la?

Portanto, crie do zero você mesmo sua carta de apresentação com as dicas abaixo. Vai dar um pouco de trabalho, mas  vai valer a pena o seu esforço, vai por mim:

Antes de começar, você precisa entender as necessidades do seu cliente, neste caso, o recrutador:

Em linhas gerais, estas são as duas perguntas mais relevantes na cabeça dos recrutadores e que sua carta de apresentação deve focar:

“Será que ele(a) tem as qualificações e experiência necessárias para a vaga?”
“Será que o perfil dele(a) bate com o perfil da empresa (valores/cultura)?”

Seu objetivo é fazer o recrutador cravar um SIM ou pender nesse sentido para ambas as perguntas. Caso isso acontecer, seu currículo vai ganhar outra dimensão na visão dele.

Muita gente me pergunta como seria a estrutura de uma carta de apresentação, portanto, gostaria de compartilhar aqui neste artigo para que muitos tenham acesso a essas dicas que fizeram meu currículo se destacar em vários processos seletivos, e acredito sinceramente, poderá fazer o mesmo com o seu.

Em quase todos os processos seletivos que já participei, recebi menções sobre a carta que enviei e sobre como chamou a atenção dos recrutadores, me permitindo ser chamado para algumas entrevistas.

Veja que o principal objetivo da carta de apresentação NÃO é te levar a uma entrevista, mas sim levar a recrutadora a LER o seu currículo. Este último, sim, tem o objetivo de te colocar frente a frente com a recrutadora numa entrevista. Ao pensar da forma objetiva como estou lhe mostrando, você será capaz de focar nos pontos essenciais para cada uma dessas duas finalidades, fazendo assim sua carta ser mais objetiva e assertiva.

Vamos lá?

Veja como será a estrutura de sua carta de apresentação

Uma carta de apresentação tem que ter:

1 – Local e data no topo da página;

Informação básica no topo, como em uma carta qualquer, sem surpresas aqui. Quanto ao local, informe somente o estado onde mora, nada mais que isto. Não interessa dar mais detalhes neste momento.

2 – O nome do destinatário e a saudação:

Em alguns casos, você terá que tentar descobrir qual o nome da pessoa para que possa endereçar sua carta corretamente. Uma das formas seria ligar para a empresa e perguntar o nome do responsável no departamento de RH pela seleção e recrutamento caso o nome não esteja visível no anúncio da vaga.

Você pode fica surpreso de como as pessoas, em geral, são receptivas ao fazer essa abordagem. Insisto nisso porque quanto mais pessoal a carta for, melhor, pois você estará transmitindo a mensagem de que aquela carta não é uma carta genérica, que você manda pra todas as vagas por aí sem pesquisar sobre a empresa, mas uma pensada cuidadosamente por alguém que sabe o que quer, para onde está indo e onde quer chegar.

Clique abaixo para aprender como Fazer Seu Currículo: CheckList Grátis com 60 Ajustes Rápidos no CV:

Como Fazer Seu Currículo: CheckList Grátis com 60 Ajustes Rápidos no CV

Outro ponto importante a ser explorado é que, ao conhecer a pessoa, você poderá buscar informações sobre ela na internet, e que podem servir de gatilhos para criação de conexão entre vocês. Por exemplo, se ela escreveu um artigo sobre valores pessoais em algum lugar, você pode mencionar de forma bastante breve como aquilo reflete o que você pensa sobre o assunto, se é o caso.

Todo este trabalho indica que você investiu tempo em conhecer melhor o destinatário e a empresa, e que de certa forma está enviando sua candidatura de modo mais consciente – a grande maioria não faz isso. Ponto pra você!

Quanto ao vocativo (chamada ao receptor da carta), pode ser prezado sr. ou sra,  nada extremamente formal ou informal.

3 – Título

Este é totalmente opcional, mas se resolver colocá-lo, pode ser um elemento a mais para fazer a recrutadora ler sua carta. Você pode colocar um título criativo, que chame a atenção da recrutadora, mas cuidado, não coloque nada indicando que você é o melhor candidato, pois vai soar presunçoso demais.

As suas conquistas e seu perfil podem sugerir nas entrelinhas de que você é o melhor candidato, mas nunca se defina explicitamente como tal, seja no currículo, na entrevista ou em qualquer outtra situação depois de contratado.

4 – Introdução

Comece com uma breve apresentação sobre o porque você está se candidatando para a vaga. Seja bastante breve aqui pois o que mais importa para a recrutadora é o que vem depois:

5 – Venda com foco nos requisitos principais da vaga

Em seguida, você vai começar a se vender:  detalhe as suas conquistas (veja bem, não responsabilidades/atribuições) sempre que possível suportado por números que indiquem o que aquilo representou para a empresa em termos de redução de custos, aumento de lucro, redução de tempo ou otimização de processos.
No entanto, aqui vai um detalhe crucial:
Essas conquistas tem que ter, na medida do possível, relação direta com os principais requisitos da vaga para a qual você está se candidatando.
Ainda nesta seção da sua carta de apresentação, procure ressaltar aspectos sobre a empresa (cultura/valores/dados de mercado) que suportam seu interesse genuíno de trabalhar nela, para não passar a impressão de que você apenas busca um salário melhor ou sair do desemprego.

6 – Fechamento

Termine a carta se colocando a disposição para uma entrevista. Outro ponto a se explorar aqui é que quanto mais você facilitar as coisas, melhor: a recrutadora pode estar sobrecarregada, então sugira um contato inicial por telefone. Dessa forma, você terá uma chance maior de poder falar com ela diretamente e então se vender de forma mais eficaz para conseguir agendar a entrevista.

O ponto chave aqui é terminar a carta deixando a recrutadora querendo saber mais sobre você. Algo como “Tem muito mais sobre mim que vai de encontro ao que você está procurando para esta vaga, ficaria feliz de ter a oportunidade de conversarmos”.
Ao final, termine colocando seu telefone, email e melhor horário para contato.

É fácil fazer uma carta de apresentação comum, tem muitos templates por aí, mas cuidado com eles: uma carta de apresentação é algo bastante pessoal e único e que deve refletir sua personalidade igualmente única. Os templates por aí estão cheios de termos rebuscados e genéricos, justamente para atender um maior número de pessoas e facilitar sua confecção em menor tempo.

O problema é justamente isto: você vai gastar alguns minutos para customizá-la, é verdade, mas as chances de ela ser lida é ridiculamente baixa. Os recrutadores conseguem farejar templates a kilômetros de distância e em poucos segundos e com a mesma velocidade vão descartar sua carta de apresentação e por consequência, seu currículo.

Não perca de vista o real e único objetivo dessa poderosa ferramenta: O objetivo da carta de apresentação é levar o recrutador a ler o seu currículo com um novo olhar, mais detalhista, mais interessado e de forma mais positiva. Isto a fará enxergar detalhes POSITIVOS que ela não veria de outra forma.

Veja este exemplo:

São Paulo, 12 de Outubro de 2017
Vinicius Nogueira

Olá, sra. Ana

<introdução>Quando tomei conhecimento da vaga de administrador de banco de dados sênior na <Empresa>, não pude deixar de notar como o perfil descrito naquela oportunidade bate com meu perfil profissional nos aspectos mais importantes lá listados. <venda>Tendo 18 anos de experiência como DBA, sendo dez deles em empresas do ramo financeiro, exatamente onde sua empresa atua, posso dizer que estou muito familiarizado com as exigências da vaga nos aspectos de segurança, alta disponibilidade e performance de bancos de dados, temas de alta relevância no ramo financeiro.

Quanto a exigência da fluência no inglês, tenho dado suporte a equipes de desenvolvimento e negócios alocadas nos Estados Unidos e Canadá, atendendo a demandas diárias nos últimos 5 anos, e tenho a dizer que tem sido uma experiência muito enriquecedora.

Represento meu time nas reuniões globais de gestão de mudanças da área de Infraestrutura, o que me permite ter uma visão ampla e única da complexidade que envolve os sistemas que suporto no dia-a-dia.

Você mencionou na vaga também sobre suporte a equipe de desenvolvedores e quanto a isso, gostaria de citar a base de conhecimento que criei, baseada na minha experiência interagindo com eles e alimentada por todo o time de DBAs. É voltado especificamente para auxiliar os desenvolvedores nas questões técnicas que envolvem interação com os bancos de dados que suportamos e que já conta com mais de 5000 entradas, eliminando o retrabalho e reduzindo a demanda dos DBAs do time em 50% do tempo.

<fechamento> Gostaria de dizer que tem mais realizações pertinentes a esta vaga no meu currículo, que segue anexo, mas melhor do que isto, gostaria de falar sobre elas pessoalmente, onde poderia expor com uma riqueza maior de detalhes.

A sra. pode me ligar para mais esclarecimentos no número XXXXXX ou responder este email para assim agendarmos um bate-papo e lhe dizer como vou ajudar a empresa, levando-a a um nível excelência de serviços que ela espera de um profissão experiente e qualificado.

Ou se preferir, posso ligar no horário e dia que desejar, basta me dar as coordenadas, será um prazer conhecê-la.

Obrigado e desde já fico no aguardo de um retorno

Cordialmente
Vinicius Nogueira

Esta carta é um exemplo de algumas que já enviei, mas veja que sempre vou customizá-las em cada situação e é isto que você deve ter como premissa quando criar a sua. Perceba no exemplo acima como vendi minhas realizações profissionais, relacionando as com os principais requisitos da vaga.

A personalidade original da sua carta de apresentação, somada ao seu perfil profissional, altamente alinhado com os requisitos da vaga e representadas de forma persuasiva na carta de apresentação é a sua grande arma para fazer sua candidatura brilhar na monotonia que existe por aí, da qual os recrutadores estão cansados.

Eles querem ver algo diferente, interessante e original, e você tem toda a capacidade para produzir isso. Espero que tenha esclarecido as dúvidas que faltavam para você começar a colocar a mão na massa. É hora de impressionar a recrutadora, agora é com você.

Aplique estas dicas na sua próxima candidatura a uma vaga, depois me conte os resultados! 😉

Gostou da carta de apresentação? Agora que tal aprender a fazer a carta de agradecimento, vamos lá? 🙂

Artigos que também podem lhe interessar:

Related Posts with Thumbnails