Quanto Cobra de seu Empregador por seu TEMPO? Não Aceite Qualquer Coisa Antes Destas Reflexões

Vale a pena o salário que você recebe pelo que faz em virtude do TEMPO que ele consome e o estresse que vem junto, de “brinde”?

Esta é uma pergunta que raramente nos fazemos em relação a nossos empregos. Pensamos mais no dinheiro, porte da empresa, benefícios, reconhecimento, prestígio, etc.

Mas a saúde no trabalho, por vezes esquecemos. Eu e você, enquanto prestadores de serviço, trocamos nossos serviços por uma quantidade de dinheiro, geralmente representada na fração valor por hora ou valor mensal. Mas não é só o dinheiro que vem junto. Dentre algumas coisas boas, existem as ruins, e estas é que podem lhe custar muito CARO, decompensando a balança.

Antes de saber mais o quanto caro isto pode ser, é importante que você entenda essa relação básica entre seu conhecimento, recursos, habilidade e autonomia na execução de um trabalho. Em linhas gerais, podemos dividir o esforço do serviço que oferecemos em 4 partes, a seguir:

  • Seu conhecimento, no planejamento e coordenação das idéias para aquele tipo de trabalho específico;
  • Sua habilidade aplicada para executá-lo, que vai influenciar na VELOCIDADE;
  • Os recursos a sua disposição para realizar o trabalho (ferramentas, processos);
  • Seu nível de autonomia: tem muita dependência externa para realizar seu trabalho?

A resultante de tudo isso culmina com o TEMPO total gasto.

Obviamente, todos estão interligados e são interdependentes. A relação entre eles funciona mais ou menos assim: Quanto mais conhecimento, habilidade, recursos e autonomia você tiver para executar um trabalho, MENOS TEMPO deverá gastar para terminar o trabalho.

Pensando por outro lado, se o problema exige muita reflexão devido a sua pouca experiência (habilidade) ou experiência mediana em relação aquele trabalho específico, ou se ainda tem baixa autonomia (depende de muitos fatores externos) seu tempo de execução deve aumentar.

E com o gasto de tempo acima do normal na resolução de um problema, o estresse vem junto, que é o grande mal do século e que consome nossa saúde. O tempo representa vida, passa e não volta mais,  por isso temos que valorizar muito nossos serviços e escolher bem a qual tipo de trabalho estamos aplicando esse bem tão precioso e escasso.

Muitos envelhecem anos precocemente num emprego devido ao enorme gasto de tempo aliados a baixa produtividade, traduzindo-se em preocupação, horas em excesso de trabalho e noites mal durmidas pensando no problema (quase insolucionável) a resolver no dia seguinte…

Será que tudo isso vale a pena pelo punhado de dinheiro que recebemos por hora ou mês? TALVEZ somente valeria a pena se o dinheiro que ganhássemos pudesse ENCURTAR o tempo gasto nesse tipo de trabalho. Por exemplo, você trabalharia um ano nesse negócio mega estressante e depois ficaria 5 anos sem trabalhar (algo do tipo que fosse extremamente vantajoso, mas que costuma ser utópico, sejamos realistas).

Em suma, o trabalho teria que compensar, e MUITO, o estresse todo para que pudéssemos recuperar nossa saúde (ou um pouco dela) e deixar de gastar menos tempo no futuro. Conta difícil essa de fazer, não?

Por isso, o que posso deixar para você aqui, de forma mais resumida e prática, é o seguinte:

Quando lhe for oferecido um novo salário em qualquer situação, PENSE no QUANTO tempo gastará para fazer o trabalho (função entre conhecimento, habilidade, recursos e autonomia para realizar aquele determinado tipo de trabalho), o que poderá lhe dar uma boa ideia do QUANTO de estresse está relacionado aquele emprego ou tarefa.

Aqui está um exercício para ajudá-lo na reflexão de tomadas de decisão importantes como essa: Pergunte-se antes de aceitar o novo cargo ou projeto:

Qual meu nível de conhecimento em relação as demandas do cargo/projeto?

Qual meu nível de experiência (habilidade) pra entregar o resultado que esperam de mim dentro do prazo desejado?

Quais os recursos que terei a minha disposição (ferramentas/processos/pessoas)?

Qual a minha autonomia de decisão neste cargo/projeto?

Isto vai lhe dar uma ideia do TEMPO que você deverá investir naquele desafio. E quanto maior o tempo, mais estresse virá junto, aí meu amigo, se resolver aceitar mesmo assim, seria bom que o dinheiro compensasse, e muito…

Outro  ponto positivo desta análise é que você terá argumentos sólidos para negar a oportunidade se for preciso, e ainda pode ganhar alguns pontos ao mostrar sua capacidade de análise crítica.

Poderá ainda ouvir uma  contra-proposta para corrigir aqueles pontos deficientes que você apontou para que aceite o desafio com mais segurança, olha que maravilha!

Isto que estou lhe compartilhando é para ajudá-lo a evitar que você aceite trocar de emprego ou mesmo aceite uma promoção (presente de GREGO) e depois perceba que vendeu seu TEMPO por um punhado de migalhas e ainda por cima recebeu uma ENORME carga de estresse junto, que o faça se arrepender amargamente depois, ok?

Dificilmente você terá a opção de se livrar daquela roubada depois de ter se comprometido  e ainda por cima conseguir sair sem se queimar, pode acreditar.

As vezes, no impulso de aceitar um grande desafio na carreira profissional, não medimos as consequências de nossas decisões, o que pode levar a amargos arrependimentos. Pondere para diminuir suas chances de erro.

Percalços sempre aparecerão, mas há situações que são estupidamente simples de evitar se apenas nos darmos tempo para alguma reflexão. E claro, envolva outras pessoas de confiança, pois pessoas vendo a situação de fora costumam ter um olhar mais analítico e frio por não estarem envolvidas emocionalmente como você.

E então, já pensou antes de decidir embarcar naquele projeto, novo cargo ou empresa? Ok, faça um enorme favor a si mesmo e pense um pouquinho mais…

Artigos que também podem lhe interessar:

Related Posts with Thumbnails