Vou te dar mais uma chance…Ouça para não errar de novo

Você ouve bem? Você erra muito? Vamos discutir um pouco aqui sobre essas duas perguntas e como a resposta de uma tem relação direta com outra e como isso pode impactar sua carreira, tanto para o fracasso quanto para o sucesso. Talvez esteja aí a resposta para muitos casos de profissionais não tão bem sucedidos, embora com ótima formação profissional.

Independente de classe social, cultura, idade, ou outras muitas variáveis, uma coisa é certa, aliás três:

1 – todos erramos
2 – errar dói
3 – Ninguém erra porque quer

A diferença está na quantidade de erros que cada um comete durante sua vida e sua diversidade (sim, errar
diferente, falaremos sobre isso adiante). A vida é curta, nossa carreira profissional então, nem se fala. Alías
nossa carreira pode ser mais curta ainda e muito vai depender de como lidamos com nossos erros e frustrações.

Você precisa aprender com os outros. Você possivelmente não viverá o suficiente para cometer todos os erros.
Sam Levenson (1911 – 1980)

Então você pergunta: como minimizar essa situação e ser bem sucedido? Apresento a você duas dicas, fruto  da vivência de alguém muito experiente em errar … (adivinhou, EU mesmo!) , que está aplicando isso em sua carreira e colhendo frutos:

1 – Errar menos

Mas como?
Alguém já disse que se Deus nos deu duas orelhas e apenas UMA boca, não foi por acaso, então…

Ouça os mais velhos
Temos a impressão que a nossa geração é mais inteligente que as anteriores. Frequentemente não damos a mínima para os conselhos dos mais velhos, pois achamos que nosso grau de escolaridade nos confere a sabedoria necessária para se dar bem neste mundo cão. Então, zombamos, e se não chegamos a esse ponto, ignoramos totalmente seus conselhos.É a cultura ocidental do “está velho? então não presta!”.

Ouça os mais experientes
Uma das coisas que valorizo muito, pessoalmente, é a experiência do outro. Como é enriquecedor você poder explorar, questionar sobre a carreira daqueles bem-sucedidos, saber como chegaram até lá, como se sentiram durante o percurso, o que faria ou corrigiria se tivessem oportunidade de voltar atrás..Não estou falando de artistas e celebridades mas de pessoas comuns que vivem ao nosso lado todos os dias.

Ouça os mais novos
Está aí um ponto difícil de digerir: encontramos em nossa caminhada corporativa, por assim dizer,  muitas pessoas que estão em situações melhores que nós em relação a sua carreira profissional e são mais novas..e qual nossa reação? “esse cara deve ter algum parentesco na empresa, deve ser puxa-saco de alguém, não passa de um moleque”, bem, o roll de desculpas é infindável quando a intenção é denegrir a imagem de alguém, na tentativa consciente ou inconsciente de esconder nossa incompetência e frustração. Acredito que se quebrarmos esse preconceito podemos aprender muito e assim errar menos será uma consequência.

2 – Errar diferente

Isso mesmo, já que o ato de errar é inevitável no curso de nossas carreiras por que não errar diferente? Isso significa evolução, um sinal de que realmente estamos assimilando os tombos em nossa carreira. É inconformismo com nossa imperfeição, embora a imperfeição não é uma “dádiva” apenas de alguns. Como já disse Albert Einstein:”Insanidade: fazer a mesma coisa uma e outra vez, esperando resultados diferentes”.

A menos que não se importe com sua carreira, aprender com o erro dos outros não é uma opção

E você, é capaz de ouvir? ou não se aguenta de não falar de seus feitos e sucessos às pessoas que passam pelo seu caminho? Está aí um conhecimento que nenhum curso pode nos dar e que podemos adquirir de graça: aprender com os outros ouvindo, isso inclui seus fracassos e sucessos.

Artigos que também podem lhe interessar:

Related Posts with Thumbnails

Discussão

  1. agton
  2. Vinicius
  3. Raphael
  4. Vinicius
  5. Raphael