DBA Ladrão é condenado após confessar roubo de dados

Um antigo DBA da Certegy Check Services Inc. ,uma empresa sediada no EUA, que havia confessado um roubo de dados pessoais, incluindo dados de contas bancárias, cartões de crédito e débito de aproximadamente 8 milhões de clientes no ano passado foi sentenciado a quase 5 anos de prisão, sendo monitorado por mais 3 anos pela justiça e obrigado a indenizar as vítimas do roubo em 4 milhões de dólares (leia a notícia completa na ComputerWorld.com (em inglês)). Há um velho ditado popular que diz que a ocasião faz o ladrão.

Pega Ladrão !!

É o que acontece muito ainda nas empresas, independente de seu tamanho, principalmente em suas áreas de tecnologia devido a ter uma média salarial maior em geral comparada com outros setores da empresa, fazendo uso de muitos terceiros. veja a ocasião criada:

A empresa precisa de um profissional de TI ultra-qualificado, graduado, pós-graduado, várias certificações em TI e outras especializações. Ele será contratado, se tornará funcionário….da consultoria é claro!. Como o cidadão vai ganhar bem, não é possível contratá-lo como CLT, pois “onera muito a empresa”.

Mas como a empresa vai contratar?

a empresa vai atrás de uma consultoria em TI, a qual será responsável por trazer o profissional para preencher aquela vaga estratégica, sendo esse novo profissional um recurso alocado da consultoria. E a pergunta:

A consultoria já tem o profissional?

Claro que não! (vamos falar baixo para o cliente não ouvir…). Então a consultoria desesperadamente sai em busca do profissional no mercado, e faz a famosa entrevista fast-food, via celular mesmo, ligação falhando e tudo, contendo 3 perguntas:

  • Você conhece tais e tais tecnologias?
  • Qual sua pretensão salarial?
  • Quando pode começar?

Isso mesmo, sem muitas perguntas. Tendo essas informações de 2 ou 3 candidatos, a consultoria faz um cálculo rápido de custo-benefício-próprio, para tentar mandar para o cliente aquele que mais se encaixa nesse perfil.

E a entrevista?

Ah sim, claro, compareça na rua XYZ e procure o sr. Joao no ramal tal. Diga que foi enviado pela nossa consultoria. Se o João gostar de você parabéns!!!. A consultoria nem viu a cara do candidato para entender melhor seu perfil, verificar se a pessoa é confiável.

O cliente está desesperado para preencher a vaga…então pra quê esperar? tá aprovado!

O consultor começa a trabalhar na empresa, e esta por sua vez não o envolve nos treinamentos internos e políticas de segurança com medo de estar criando um vínculo empregatício com o consultor…porém o cara tem acesso a todas as contas críticas de usuário, acesso físico irrestrito em vários departamentos e acesso a documentos confidenciais e bases de dados e negócio críticas.

Pergunta se o gerente conhece o trabalho do consultor:

Não. Tem que confiar, é refém do profissional, pois tecnicamente pouco ou muitas vezes nada conhece do serviço de seus especialistas e cabe a pergunta: como fazer auditoria de atividades que você não faz a mínima idéia de como são feitas?

Bom, feita a ocasião, o consultor, caso seja mau caráter, faz a festa, levando dados confidenciais da empresa e muitas vezes nem sendo pêgo e é aí que está o maior problema:

“Pior que ser roubado, é ser roubado sem perceber”

O consultor descompromissado e mau-caráter, nesse caso, sai da empresa pouco tempo depois. Recomeça-se então o maldito ciclo…

As coisas estão mudando? acredito que muito lentamente ainda e de forma reativa, as empresas ainda tem uma visão muito imediatista de redução de custos, enxergam apenas a um palmo de seu nariz.

Certamente muitas outras situações podem ser enumeradas que facilitam a ação de pessoas mau-intencionadas…você presenciou alguma? Divida sua experiência conosco!

Artigos que também podem lhe interessar:

Related Posts with Thumbnails