Qual o seu nível de Inglês? Atenção: Não cometa o Pecado de responder em uma Palavra – Veja Porque

Qual o seu nível de inglês? Calma, não reponda tão rápido…

Esta é uma pergunta comum dos recrutadores quando a vaga tem exigência quanto a um nível mínimo de fluência do idioma. A maioria das pessoas vai responder de cara, em uma palavra, que o nível é básico, intermediário, avançado ou fluente.

Mas se você quer chamar atenção do recrutador, você não vai responder assim de forma tão simplista. Pelo contrário, vai se aprofundar no tema com outra pergunta:

De qual habilidade relacionada a fluência de um idioma estamos falando:

Escrita, leitura, escuta ou conversação?

A resposta do recrutador virá no detalhamento das atividades mais comuns realizadas fazendo uso do idioma. É nesse momento que você vai entender se o seu nível de inglês é ou não suficientemente fluente para atender o requisito da vaga.

Depois do esclarecimento por parte do recrutador, você passa a ter todas as informações necessárias para responder com confiança quanto ao seu nível de fluência no idioma, inclusive tendo a oportunidade de realçar outros pontos positivos na sua experiência e que estejam alinhados com a utilização do idioma no dia-a-dia.

Ficou bem melhor assim, não?

É muito comum, porém simplório demais, julgar o nível de fluência num idioma de forma genérica, como se essas habilidades andassem juntas. Uma pessoa pode ser muito boa na escrita, ter uma redação impecável semântica e gramaticalmente falando, mas ter um nível de conversação muito básico.

A mesma coisa ocorre com relação a vaga divulgada pela empresa. Muitas vezes eles pedem simplesmente inglês avançado, quando no desempenho da função, verifica-se que pouco se é exigido conversação, mas apenas um bom nível de inglês técnico.

O ponto chave aqui é entender qual o nível de fluência é exigido em cada uma dessas habilidades para que a pessoa possa desempenhar suas atividades de forma satisfatória.

É importante que você entenda que esse desbalanceamento de níveis de fluência entre escrita, leitura, escuta e conversação é mais comum do que você imagina.

Veja, podemos constatar facilmente, a medida que aprendemos o idioma, como nos desenvolvemos em ritmos diferentes em cada uma dessas habilidades. Isto muito se deve a traços de personalidade e também a intensidade de treinamento que dedicamos a cada uma delas.

Enquanto alunos, cabe a nós entender as dificuldades que enfrentamos no aprendizado do idioma e tomar cuidado para não dar muito foco a uma habilidade específica por conveniência, deixando as mais difíceis de lado.

Nas orientações que dou sobre carreira, tenho procurado frizar isto:

Cuidado para não se perder no prazer de estudar o idioma ao desenvolver somente uma habilidade (ouvir músicas para o desenvolvimento da escuta, por exemplo) e terminar ficando manco: nível 9 de escuta e 1 de conversação.

Agora, vamos registrar seu nível de idiomas no LinkedIn, que tal? Veja abaixo como você vai fazer isto de forma detalhada:

Clique no ícone com sua foto e selecione a opção “Visualizar Perfil”. Vá até a seção idiomas caso já a tenha adicionado, ou vá até a opção “Adicionar seção do Perfil” no lado direito da página e clique na sub-seção “Conquistas”. Abaixo dela, clique no sinal positivo (+) para adicionar “Idiomas”, como mostrado abaixo:

Após clicar no sinal de positivo (+), aparecerá a tela abaixo:

Ao começar a digitar algo na caixa de idioma, uma lista se abre sugerindo opções. Depois de digitar o idioma, a caixa de proficiência abaixo libera para escolha, onde você deverá selecionar o nível de fluência no idioma em questão. Em seguida, clique em “Salvar”.

Se desejar adicionar outro idioma, clique novamente no sinal de positivo (+) como indicado acima e repita o processo.

Dica de Ouro:

Existem vários níveis de domínio de um idioma, desde o básico até o fluente ou nativo. Quando colocar um deles, não tenha medo, coloque o nível que acredita ter com base no seu nível de fluência quanto a escrita.

Isso mesmo, a grande maioria das empresas no Brasil, quando exigem fluência num segundo idioma, contratam mais por conta da escrita (leitura técnica) do que fluência verbal, então não se subestime.

Ademais, muitas empresas acabam elevando o nível do idioma para algumas vagas apenas para tentar reduzir o número de candidatos.

Portanto, baseie-se pelo seu nível de escrita ao selecionar o nível de fluência, o que vai elevar seu nível de conhecimento da língua (uma vez que no Brasil temos mais a tendência de ouvir e escrever do que propriamente falar num segundo idioma), e assim tornar seu currículo mais atraente. Ponto para você de novo!

Antes de você ir, ainda tem outro ponto importante: Lá no perfil do LinkedIn, como você pôde ver, é somente possível definir o nível fluência de forma abrangente, e não por habilidade, como lhe mostrei anteriormente como fazer.

O detalhamento de seu nível de fluência por habilidade deverá ser feito ao customizar o seu currículo para uma vaga específica, o que pode ser feito na área de sumário do seu currículo, por exemplo.

O segredo é entender as necessidades do seu cliente (recrutador) e customizar. Dá trabalho, mas suas chances de atender o perfil da vaga e ser chamado para uma entrevista vão aumentar consideravelmente. Já aconteceu comigo, que tal você tentar agora?

E você, depois de saber de tudo isto, qual seu nível de inglês? Responda nos comentários!

Artigos que também podem lhe interessar:

Related Posts with Thumbnails