Acabou de participar de uma entrevista de emprego? então agradeça!

Agradecer ao selecionador após uma entrevista de emprego é importante, embora não tão fácil assim. Quando saímos para uma entrevista, há todo aquele preparo psicológico, nos enchemos de otimismo e partimos para a batalha. Há sempre a esperança de que logo ao final do show de nossa entrevista o selecionador olhe para nós, e com os olhos marejados ( tá bom, nem tanto assim…) nos cumprimente fervorosamente afirmando: “a vaga é sua, é justamente de alguém como você que preciso!!!”.

Porém, frequentemente, o que ocorre é o seguinte: com certo olhar de indiferença, o selecionador o cumprimenta ao final da entrevista e diz que “qualquer coisa” entrará em contato novamente dentro de “alguns dias”. O candidato, não raras vezes, acaba saindo desanimado, meio que como tivesse levado um cruzado de direita no queixo, como no boxe.

Ok, mesmo assim, sabendo que terá que esperar alguns dias e ainda com grandes chances de não receber nem um “obrigado pela sua participação, estamos arquivando seu currículo para futuras oportunidades que se encaixem no seu perfil”, deve respirar fundo e tomar uma atitude incomum entre os candidatos: mandar um carta de agradecimento.

A ComputerWorld divulgou algumas regras básicas na hora de mandar sua carta de agradecimento, e que pode fazer diferença na concorrência pela vaga. Uma carta bem feita reflete sua serenidade, controle da ansiedade e profissionalismo, no mínimo, além de causar uma boa impressão para quem seleciona. Pode ser o detalhe que faltava para que ele se decida por você para ocupar a vaga.

Veja como você pode agir para fazer uma carta de agradecimento que cause tal boa impressão de que falamos:

1 – Envie o agradecimento prontamente – Logo após o a entrevista, rascunhe a nota de agradecimento enquanto a conversa ainda está fresca na cabeça e envie no máximo em 24 horas. A nota pode e deve ser enviada por e-mail, que é mais imediato, mas deve seguir regras formais de escrita, como se fosse uma carta em papel.

2 – Seja específico e sucinto – Se a nota de agradecimento passar de três parágrafos, é melhor reduzir. Cashman diz que uma nota muito longa pode não ser lida inteiramente e, de quebra, somar pontos negativos na avaliação de sua habilidade de comunicação.
Mesmo com pouco espaço, é necessário abordar os pontos-chave da conversa, indicando que você teve atenção ao recrutador e ouviu o que ele tem a dizer.

3 – Siga uma estrutura – No primeiro parágrafo, expresse sua gratidão pela oportunidade  de saber um pouco mais das estratégias da companhia, desafios e necessidade por equipe. No segundo, reitere porque você é um bom candidato à vaga, ressaltando que tem as habilidades desejadas e que está pronto a atender aos desafios e oportunidades que lhe foram apresentados. Mostre também que está confiante que a sua experiência trará benefícios para a organização. A meta é mostrar que o candidato entende quais são as necessidades para a posição e que seria a escolha ideal dentro desses requisitos. No terceiro parágrafo, reforce seu interesse pela posição e pela companhia e coloque-se à disposição para novas conversas.

4 – Não erre na gramática e na ortografia – Assim como no currículo, erros na carta de agradecimento podem causar péssima impressão e provocar efeito contrário ao desejado. Revise quantas vezes for necessário.

5 – Evite o tom de desespero – Outra coisa que pode minar as chances de obter a vaga é escrever expressões que denotem desespero por um emprego.

6 – Não esqueça informações de contato – Com a excitação da entrevista, não é difícil esquecer de pedir as informações de contato do recrutador para que seja possível mandar a nota de agradecimento. Peça o cartão de visita da pessoa que realizou a entrevista ao final da conversa.

Alguns dizem: “Ah, mas ninguém costuma fazer isso!”. Está aí um bom motivo para você começar a se mostrar diferenciado, certo?

Em meio a concorrência, onde poucos candidatos se diferenciam, qualquer detalhe a mais não pode ser ignorado. Porém, acima de tudo não perca o otimismo se não houver resposta na primeira nem na segunda entrevista com esta nova atitude. Faça uma auto-análise de sua participação e veja o que poderia ter sido melhor na sua apresentação.

Esqueça se o selecionador mostrou-se preparado para o que faz ou não, a única pessoa que você pode mudar é aquela em frente ao espelho, então focar nisso é essencial para melhorar sua performance e sair vitorioso na disputa da próxima vez, ok?

As seis dicas foram extraídas do artigo da ComputerWorld.

Artigos que também podem lhe interessar:

Related Posts with Thumbnails

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *