8 maneiras de destruir a própria imagem na empresa – e como evitar

Destruir é sempre mais fácil que construir. E isto vale para tudo na vida, desde a relacionamentos, coisas materiais e mesmo no nosso lado emocional e psicológico. E o lado profissional obviamente não tinha como ficar fora dessa.

O profissional pode ser bastante competente tecnicamente, ter uma boa educação formal, ter passado em ótimas escolas e até mesmo ter uma ótima apresentação pessoal… o problema pode começar quando se começa a conviver com ele.

Seu comportamento, suas opiniões, como que impostas como sendo a referência da verdade na Terra, sua experiência que julga não poder ser questionada, enfim, basta a ele abrir a boca para se notar que essa pessoa provavelmente é alguém que vai dar trabalho no relacionamento com os colegas na empresa.

Desse modo, destruir uma imagem profissional, aquela conhecida primeira impressão, é mais fácil do que se imagina. Não que tenhamos que ser e nos comportar exatamente como os outros, não é esta a questão, mas sim que, ser diferente, como acabamos de ver por certos comportamentos, nem sempre significa estar arrasando no bom sentido perante seus superiores e colegas.

O site Exame listou alguns exemplos negativos que devemos a todo o custo evitar, sob o risco de sermos fritados na empresa caso os negligenciemos. Vamos ver quais são eles?

1. Atrasar-se

“As pessoas estão sobrecarregadas e, por trabalhar demais em determinada atividade, se sentem confortáveis em não ser pontual”, diz Ariadne Tomczak, headhunter da De Bernt Entschev Human Capital.

As justificativas para chegar atrasado podem ser inúmeras, mas sempre “isso será uma falta de respeito perante a outra pessoa”, diz a especialista.

2. Não desgrudar os olhos do celular durante reuniões

Os recursos digitais limaram as desvantagens das distâncias da realidade corporativa. Hoje, é possível estar em uma reunião enquanto envia instruções para um subordinado na sala ao lado ou em outro país.

Mas atenção: “Quando as pessoas estão reunidas, elas tem um objetivo. Se você estiver lá, esteja de verdade”, diz Ariadne. Se realmente precisar resolver outra questão, peça licença, sai da sala e atenda ao celular ou responda o e-mail.

Cuidado também com conversas paralelas, risadas e, pasmem, troca de bilhetes durante reuniões. “Esse tipo de postura dá a impressão de que você está em uma sala de aula, não no ambiente de trabalho”, diz a consultora de imagem corporativa Renata Mello.

3. Fazer brincadeiras preconceituosas

Todo mundo gosta de brincar com o time alheio ou de contar a última piada “super criativa” sobre loiras. Lembre-se: o  respeito deve ser palavra de ordem no ambiente de trabalho – independente do seu grau de intimidade com o colega de trabalho. Dica básica: lime todo tipo de brincadeira preconceituosa do seu repertório de bom humor corporativo.

4. Dar broncas – na frente de terceiros

“Quando você divergir com alguém, lembre-se que ele não é seu irmão ou sua esposa”, diz Renata. “É desagradável chamar a atenção na frente de outras pessoas. Ninguém é obrigado a ouvir os gritos e berros de insatisfação do outro”.

5. Interromper reuniões

Tem uma demanda que deve ser prontamente atendida? E a pessoa chave para resolvê-la está em reunião? Seja sutil. “Há pessoas que entram na sala sem bater. O ideal é pedir licença e entrar devagar”, aconselha Renata.

6. Pressionar

É fato que, em alguns momentos, todo seu trabalho depende da boa vontade de outra pessoa, para qual a tarefa nem é tão importante assim. Pode ser até que este descompasso de prioridades esteja empacando toda a sua agenda.

Mas, atenção: isso não é justificativa para ficar no pé da pessoa. Ou em outras palavras, atormentá-la até que tenha o que você quer.
“Nessa ansiedade de querer resolver o problema, lembre-se que a outra parte também está trabalhando e que ela tem as próprias prioridades”, diz a especialista. “É preciso respeitar os prazos”.

Enviou um e-mail pela manhã cobrando uma resposta? Espere até o meio da tarde para ligar pedindo uma resposta. De maneira delicada e discreta, claro. “Não fique ligando de hora em hora”, diz Renata.

7. Interromper a conversa de terceiros

Ou não deixar ninguém terminar uma sentença. É consenso: cortar conversas ou frases de terceiros é um ato claramente indelicado.
Mesmo assim, seja por um impulso ou força do hábito, muitos profissionais seguem monopolizando diálogos e impedindo que outras pessoas se expressem na mesma medida.

“Temos que aprender a escutar”, diz Renata. Se cortar por impulso, “peça desculpas e retorne a palavra para a pessoa”.

8. Manter olhares indiscretos (ou malandros)

Trabalho é trabalho. E profissional nenhum deveria agir como se estivesse em um bar, diz a especialista. Mas há quem se esqueça dessa realidade e faça de todo esbarrão um pretexto para flerte.

Aqui, explica a especialista, o problema não é se interessar por um colega de trabalho. “É o hábito de lançar olhares para homens ou mulheres de uma maneira ‘sacana’ para testar o próprio sex appeal”, explica. E, como consequência, desrespeitar o outro.

Mesmo quando isso não estiver em pauta, seja discreto com a maneira como você olha para as outras pessoas. “Se você está avaliando o visual do outro, seja sutil”, diz.

Com certeza, esta lista de inconvenientes, para dizer o mínimo dessas atitudes, está longe de estar completa. Há muito com o que nos cuidarmos para que uma imagem de trabalho duro, alto grau de expertise e performance não venha se jogada no lixo com atitudes que tem apenas a aparencia de inofensividade.

Há tempo de mudar, caso perceba que tenha incorrido em erros como esses (todos nós eventualmente cometemos, uns mais outros menos), afinal somos humanos e nunca é tarde. Se a mudança não trazer resultados no emprego atual, servirá para outro, não se preocupe.

O problema está em demorar a corrigir as atitudes e principalmente, a meu ver, na falta de humildade em pedir perdão a um colega quando se achar culpado de alguma situação parecida.

O reconhecimento do erro é uma das formas mais difíceis de começar a mudar a imagem pessoal, porém, um dos mais eficazes remédios para sua recuperação. Que tal começar agora?

As 8 dicas em destaque acima são de publicação da Exame.

Artigos que também podem lhe interessar:

Related Posts with Thumbnails

Nenhuma resposta

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ebook Grátis: O Segredo para conseguir os melhores empregos

Atenção: Edição por tempo limitado!