7 competências de TI buscadas pelo mercado de trabalho atualmente

Quais são as competências mais procuradas nos profissionais de TI de hoje, em especial nos que estão entrando no mercado de trabalho nos dias atuais?

Segundo a ComputerWorld, em entrevista com líderes de TI norte-americanos, há algumas competências elementares e outras novas, fruto das mudanças recentes no mercado de Tecnologia da Informação. Embora os destaques nos pontos abaixo refiram-se ao mercado dos EUA (um punhado de anos à nossa frente), vale a pena ficar atento a essas necessidades.

Até porque em discussões com pessoas da área aqui no Brasil e na internet em fórum, artigos e revistas especializadas, podemos ver claramente o barulho que  essas competencias tem feito.

São centenas de novas referencias na internet a cada semana, vagas abertas não preenchidas em todos os lugares do mundo, e parece que mesmo num dos mercados de TI mais desenvolvidos do mundo, a educação também parece um pouco longe de um alinhamento  satisfatório às necessidades desse mercado tão exigente.

Com os pontos abaixo, veja o que voce pode fazer para melhorar seu curso na faculdade, caro estudante. Às vezes esperamos demais da direção das escolas, mas uma conversa franca com o professor pode fazer com que ele mesmo procure soluções para encaixar algums temas mais relevantes atualmente sem ter que passar por burocracias de mudanças de currículos dos cursos. Tem que haver conversa , e a responsabilidade para uma melhor formação é nossa também.

Vamos aos pontos:

1. Conhecimento das funções empresariais básicas

Novos graduados em ciência da computação entendem termos como contas a receber, logística ou projetos de marketing? Provavelmente não, diz o CEO da Computing Technology Industry Association (CompTIA). A maioria dos estudantes procura disciplinas dentro do campo de estudo de seus cursos de ciências da computação.

Isso ocorre mesmo com os graduados de tecnologia que buscam posições corporativas de TI em que espera-se que desenvolvam aplicações que facilitem o trabalho de outros departamentos. E embora os programas de TI de pós-graduação tenham melhorado em relação a iniciar os alunos nos negócios, ainda há deficiências de conhecimento.

Nesse meio tempo (enquanto as escolas não supre essa carencia), os líderes de TI têm desenvolvido estratégias para assegurar que seus empregados tenham uma visão básica de negócios.

2. Procura-se: experiência com empresa de integração de sistemas

Não há como negar que os estudantes universitários têm muito conhecimento sobre computador. Mas essa experiência não significa que os alunos são escolarizados nos processos de TI que as empresas utilizam, diz o presidente e CEO da Computing Technology Industry Association (CompTIA), Todd Thibodeaux.

A maioria dos estudantes de ciência da computação passa grande parte do tempo na faculdade aprendendo a construir suas próprias aplicações e sistemas, ainda que as companhias, muitas vezes, não precisem necessariamente, desse tipo de conhecimento.

“Quando você entrar no mundo dos negócios, será menos necessário saber criar seu próprio sistema e mais sobre como integrar sistemas“, diz Thibodeaux.

3. Procura-se: conhecimento de tecnologias emergentes da empresa

Business Intelligence (BI) e cloud computing são duas tendências emergentes de tecnologia que são de alta prioridade para os gerentes de TI nos dias de hoje, mas não são ainda tópicos nos currículos universitários.

Algumas faculdades podem oferecer apenas alguns dos cursos mas, com as tecnologias mudando tão rapidamente, tendem levar algum tempo para o desenvolvimento de cursos extensivos sobre tendências que estão em evolução, diz o vice-presidente sênior da empresa de recursos humanos de TI Modis, Marty Sylvester.

4. Procura-se: o básico da tecnologia

“Uma lacuna que estamos descobrindo é que as faculdades não ensinam o básico“, diz o diretor de Sistemas de TI da fornecedora de software Dassault Systèmes, Jeff Browden. Como a tecnologia se torna cada vez mais avançada, Bowden tem visto um declínio na capacidade dos recém-formados para lidar com tarefas simples de TI.

As novas contratações realizadas por Bowden têm um baixo nível de competência técnica, e não conhecem o caminho de um prompt de comando ou não sabe como consertar um PC quando não está respondendo à entrada do mouse.

“Se você começou 20 anos atrás foi forçado a aprender isso, mas como os computadores evoluíram, as pessoas ignoraram essas atividades básicas, mas pode haver demandas desse tipo quando se está solucionando problemas de computadores.”

5. Procura-se: familiaridade com sistemas legados

Já Sylvester, da Modis, diz que as empresas estão procurando pessoas que possam trabalhar com sistemas legados. Eles querem que os profissionais de tecnologia saibam Cobol, Customer Information Control System (CICS) e tenham habilidades com mainframe entre outros conhecimentos. Mas faculdades não estão ensinando esse temas, diz Sylvester.

6. Perspectiva do mundo real

Para o executivo de TI da Geiger, Dale Denham, os recém-formados tendem a se concentrar na melhor tecnologia sem considerar o que é melhor para limitações fiscais da empresa ou população de funcionários.

“Eu tenho um monte de pessoas que, por exemplo, sabem como projetar o banco de dados no papel [ou] o melhor storage, mas não estão olhando para os impactos sobre a experiência do usuário”, diz Denham.

Eles não sabem como equilibrar TI com as necessidades dos negócios. Ou não percebem o custo de fazer alguma atividade, o tempo que irá demorar, as habilidades necessárias etc”, acrescenta. A maioria das contratações pode até adquirir essas habilidades no trabalho, mas “as escolas poderiam dar uma bases para isso.”

7. Procura-se: capacidade de trabalhar em equipe

Pode ser surpresa, mas a geração mergulhada em Facebook, Twitter e outras comunidades, acabam não tendo a habilidade de construir o mesmo espírito de colaboração no local de trabalho, segundo relato dos líderes de TI.

Para Thibodeaux é um desafio para as empresas. Ele observa que as dificuldades de trabalhar em equipe é maior entre os que fizeram o curso de ciência da computação, que passaram muito tempo da faculdade trabalhando sozinho em projetos. “Muitos deles não sabem como trabalhar em conjunto de forma eficaz ou definir e gerenciar expectativas. Isso não está sendo ensinado muito bem em faculdades ou em escolas de pós-graduação.”

Isso aí, é hora de trabalhar. Talvez algum desses pontos retrate uma ou outro ponto a melhorar na sua carreira, mesmo para voce, profissional de TI mais experiente. Algo que pode fazer uma grande diferença na sua próxima promoção ou mesmo para um novo e melhor emprego, certo?

Veja mais detalhes também no link da ComputerWorld.

Artigos que também podem lhe interessar:

Related Posts with Thumbnails