Eu ACEITEI a Contra-Proposta…e me FERREI – Veja 10 Motivos pra não Aceitá-la

Há alguns anos atrás, eu estava prestres a trocar de emprego. Estava tudo acertado com a nova empresa, então comuniquei meu gestor sobre minha decisão.

Uma outra empresa tinha me oferecido um salário e oportunidade de carreira mais interessantes, aceitei e disse ao meu chefe atual na época que era o momento de trocar de barco.

Já no dia seguinte, não veio o gerente do meu gestor falar comigo, mas o diretor dele!

Veio com papo meloso e me ofereceu igualar a proposta, além de outras coisas que eu demandava – tudo o que eu queria, tinha pedido antes e não tinha sido atendido até então.

Como já estava lá há alguns anos, conhecia bem o ambiente de trabalho e era o DIRETOR quem prometia, eu resolvi arriscar – aceitei ficar. Aí chegou a parte chata: ter que desfazer o negócio com a outra empresa…

Ao informar a empresa que desejava me contratar, de que tinha mudado de ideia, eles tomaram uma atitude que eu não esperava: resolveram COBRIR a contra-oferta.

Pensei comigo: “não, aí já acho sacanagem demais, virou leilão e não estou gostando disso…” O negócio começou a cheirar mal, e como não tenho estômago pra isso, declinei gentilmente a nova oferta e fiquei, de certa forma aliviado pois gostava do lugar onde estava trabalhando e eles agora tinham me dado (ou pelo menos, prometido) tudo o que faltava para que eu me sentisse satisfeito.

Bem, passou-se o tempo, e obtive somente o aumento salarial, enquanto outros pontos mais importantes das promessas NÃO foram cumpridos, pois segundo o diretor, não dependia dele somente. Após nova cobrança quanto ao combinado, fiquei sabendo que aquelas promessas definitivamente não se concretizariam e que ele não poderia fazer mais nada quanto aquilo.

O mais frustrante de tudo é que ficou claro, pela forma como ele me comunicou os fatos, de que eu tinha sido usado – havia projetos importantes de outsourcing a serem concluídos e se eu saísse naquele momento, muita coisa iria atrasar – e lógico, isso ia pegar mal para ele.

Eu me desculpei na nossa conversa e lamentei por ter aceito sua palavra como garantia e fiz uma afirmação perigosa, e que não recomendo que ninguém o faça em sã consciência no seu emprego:

Ok, a partir deste momento, estou de olho no mercado, assim que encontrar algo interessante, saio, desta vez sem olhar pra trás!” – eu estava furioso, deixei meus sentimentos falarem por mim.

Apesar dos meus medos, as coisas se encaixaram como que por milagre, e quase um mês depois estava saindo para uma outra oportunidade que acabou sendo melhor que a primeira.

Mas confesso que estava preparado para tudo: poderia até mesmo aceitar uma oportunidade para ganhar menos, pois no momento, o que mais me importava era sair dali, e o mais rápido possível – tinha virado uma questão de honra.

Enfim, cuidado com contra-propostas. EM GERAL, as pessoas que as aceitam não costumam se dar bem. Eu aprendi a minha lição. Agora, veja 10 motivos porque você não deve aceitar a contra-proposta a seguir.

Eu as separei condensando as centenas de comentários no meu post no LinkedIn, que muitos profissionais compartilharam através de suas ricas experiências:

1 – Se você tivesse esse valor todo na visão deles justamente agora que você está prestes a sair, eles teriam atendido as suas demandas quando você pediu antes de outra empresa lhe oferecer uma proposta. Quer dizer que agora apareceu o dinheiro?

2 – Seu novo salário poderá ser um ponto fora da curva por ganhar mais do que outros que tem a mesma função. Em tempos de crise, você poderá encabeçar a lista de cortes.

3 – Eles podem ver seu salário maior como incompatível (neste caso, inferior) com os resultados que você entrega, então logo se sentirão pressionados a aumentar sua carga de trabalho para compensar a discrepância, ou pior, demití-lo.

4 – Você pode ser relegado a projetos e tarefas de menor importância por verem em você alguém que possa pular do barco a qualquer momento que pintar uma proposta um pouco melhor por aí;

5 – Nem sempre o dinheiro é o fator que está levando você a mudar de emprego, reavalie todos os motivos, senão poderá acontecer de se ver desmotivado de novo em pouco tempo – e dessa vez,  até sem emprego;

6 – Você estará queimando o filme com aqueles potenciais empregadores por ter voltado atrás com sua palavra. Isto poderá lhe prejudicar no futuro ao se candidatar a vagas naquelas empresas ou mesmo em outras empresas onde você possa encontrar aquelas mesmas pessoas. O mundo é pequeno demais.

7 – Na próxima vez que derem aumento/promoções na sua equipe, poderão esquecer de você de propósito para compensar o gasto a mais, na visão deles, para manter você na equipe.

8 – Aproximadamente 95% das pessoas que aceitaram contra-proposta, segundo os comentários, se decepcionaram. Desde ao ponto de não receberem nada ou apenas parcialmente o que foi prometido até o ponto de serem demitidas pouco tempo depois.

9 – Aquele gestor que prometeu – ou os diretores acima dele, que aprovaram suas demandas – poderão não estar lá para comprí-las mais tarde. Muitos se vão, e com eles, suas promessas, enquanto você pode ficar a ver navios.

10 – Se a empresa age reativamente nesta questão, provavelmente você terá que fazer a mesma coisa no futuro para continuar avançando profissionalmente naquele lugar, e isto é um jogo muito arriscado, além de estressante. Vai querer continuar mesmo com isto?

Se mesmo depois de tudo isso, você decidir aceitar a contra-proposta, aqui vai um último conselho, também compartilhado pelos colegas nos comentários: tenha tudo por escrito, preto no branco e com consentimento e aprovação dos tomadores de decisão.

Não adianta seu chefe lhe mandar um email com tudo o que foi acordado. As vezes é preciso que pessoas acima dele corroborem com aquele acordo, então solicite uma reposta deles no mesmo documento.

Ainda assim, saiba que você não tem garantia alguma. Pode até processar a empresa depois e eventualmente ganhar algo, mas dificilmente o que ganhar vai compensar toda a dor de cabeça que um processo desse tipo gera, sem contar o fato de ter que se indispor com muita gente que poderá voltar a ser seu chefe em outras empresas.

Pense nisso, não deixe a emoção falar mais alto ao permitir que laços sentimentais, medos e outros sentimentos sobreponham sua racionalidade e prendam você a algo que de venha se arrepender depois – o que provavelmente vai acontecer, as estatísticas estão aí para provar isso.

Veja os insights de centenas de comentários sobre o assunto num post que escrevi no LinkedIn:

Acesse o post aqui pra aprender mais sobre o tema: https://www.linkedin.com/feed/update/urn:li:activity:6334513576706871296

 

Eu aprendi minha lição, e VOCÊ, o que acha do assunto? Deixe sua opinião!

Artigos que também podem lhe interessar:

Related Posts with Thumbnails