10 atitudes que podem fazer de você o candidato ideal na vaga em TI

Desculpe, mas seu perfil não atende ao que estamos procurando no momento… Você ouviu uma frase desse tipo em algumas de suas últimas entrevistas, pegando-o de surpresa? Não é porque a demanda por profissionais de TI segue em alta que as empresas vão afrouxar seus processos e abrir mão de seus valores, contratando sem critério.

Claro, há recrutadores pessimamente preparados para processos de seleção especializados como o de profissionais de TI, sem dúvida. Porém devemos ter cuidado com avaliações errôneas, o que é fácil de ocorrer, pois botar a culpa nos outros, no sistema, alivia um pouco a dor do nosso fracasso momentâneo.

Por isso, sempre é bom ficar atento a dicas de especialistas como as descritas abaixo. São 10 pontos que podem fazer toda a diferença entre ser ou não contratado por aquela empresa na vaga tão sonhada:

1 – Envie o currículo somente para as vagas com o seu perfil

Inicie bem o processo seletivo ao candidatar-se apenas para as vagas adequadas ao seu nível de conhecimento nas linguagens e tecnologias que a empresa requer. Muitos entrevistadores usam o contato pessoal apenas para checar se é verdade o que o candidato informou no currículo. “Não basta ler a descrição da vaga e supor que consegue atuar naquela função, é preciso fazer uma reflexão íntima sobre se você está preparado para aquele cargo”, diz Aryane Souza, analista de recrutamento especializada na seleção de profissionais de TI.

2 – Tenha sempre um pen drive com o seu currículo e portfólio

Mantenha os documentos no formato digital para evitar a perda de exemplos de trabalhos realizados ou a citação de cursos recém-concluídos. Se necessário, forneça uma cópia ao recrutador. “É comum entrevistar candidatos que fizeram um treinamento enquanto esperavam pela entrevista de emprego, especialmente cursos online. Esta última opção é ótima para ampliar o conhecimento em outras tecnologias e podem fazer toda a diferença no momento da seleção”, explica Aryane.

3 – Fale sobre a qualificação técnica de uma maneira fácil

Tente resumir as experiências e facilite o entendimento por parte do recrutador. O objetivo é fazer o profissional de RH captar o teor da conversa da melhor maneira possível.
“Sou analista de RH especializada em TI, mas nem sempre o responsável pela entrevista tem o mesmo conhecimento técnico que o candidato. O recrutador precisa captar o que há de mais importante na conversa e, se ele não entender o que o entrevistado faz, pode passar um parecer ruim ou distorcido ao gestor do cargo”, alerta a especialista.

4 – Não minta para tentar ser aprovado

Ainda segundo Aryane, se o candidato não possui um requisito exigido, o máximo que ele pode fazer é falar sobre outros conhecimentos. A pessoa pode dizer, por exemplo, que nunca atuou com computação em nuvem, mas citar que trabalha com outras tecnologias e demonstrar conhecimento de outras áreas.

“Jamais faça do seu currículo uma “sopa de letrinhas” a fim de demonstrar amplo conhecimento em várias linguagens e tecnologias até porque nesta área não tem como enrolar ou fingir. Uma apresentação simples e estruturada é melhor do que um documento com três páginas. Os CIOs e profissionais responsáveis pelas vagas não têm tempo livre para ler um currículo extenso” comenta.

5 – Exercite outras habilidades

É recomendável demonstrar, além do conhecimento técnico, algumas qualidades em áreas comportamentais como liderança, empreendedorismo, capacidade analítica e foco no resultado com o objetivo de ser um bom candidato no processo seletivo de TI.

“Trabalhar com prazos muito curtos, lidar com diferentes temperamentos e saber explicar um item para um leigo ao mesmo tempo em que consegue detalhar para um CIO são habilidades exigidas pelos gestores, além de saber, nem que seja o básico, sobre documentação, levantamento de requisitos, testes e outras habilidades que são usadas principalmente pelas consultorias”, afirma Aryane.

Ainda segundo a especialista, a pessoa que possui facilidade em desenvolver trabalhos em grupo tem mais uma vantagem porque em TI os trabalhos são segmentados e divididos por projetos.

6 – Cuide da aparência, mas não exagere

A melhor maneira de acertar no visual é perguntar ao recrutador o traje recomendado para a ocasião. “Não precisa usar gravata se a vaga não exigir, ou uma roupa informal demais a ponto de usar bermuda, chinelo e cabelo despenteado. O mais relevante para a área de TI é demonstrar ser um excelente técnico e ter um bom perfil pessoal”, afirma Aryane.

7 – Comente os projetos da antiga empresa

É provável que a recrutadora pergunte sobre a participação em trabalhos desenvolvidos nas companhias onde o profissional atuou. Segundo a especialista, estas questões avaliarão o nível de interesse do candidato. “Alguns profissionais evitam participar se os projetos fazem parte de outra área ou outro colaborador lidera o trabalho. Neste momento, o recrutador também verificará o nível de proatividade”, explica.

8 – Faça um planejamento de horário se a vaga é de trabalho remoto

O home office é comum em TI e permite que o candidato trabalhe para outras empresas, desde que a pessoa entregue o projeto com uma qualidade satisfatória.

Se possuir outro emprego, deixe isso claro para o entrevistador. “Não minta. Há empresas que usam sistemas de monitoramento que geram relatórios com base nas ações feitas no computador”, diz Aryane.

9 – Não fale somente sobre dinheiro

Começar a entrevista e perguntar sobre o salário significa perder pontos. A especialista diz que o mercado de TI está aquecido e por isso alguns profissionais perdem a noção do bom senso. “Há pessoas que iniciam a conversa dizendo que aceitam a vaga somente se a empresa pagar acima de seis mil reais, mas sequer possuem a habilidade exigida. Outros candidatos são rejeitados porque deixaram a impressão de que têm enfoque apenas em ganhar mais dinheiro”, afirma.

10 – Amplie o networking mesmo se não for escolhido

Ser reprovado em um processo seletivo não evita a participação em novas entrevistas de emprego. Manter contato com a recrutadora para acompanhar a abertura de vagas na área é importante, mas jamais peça para ser amigo no Facebook, Orkut ou MSN.

“É recomendável ficar atento às fontes das vagas e o LinkedIn é perfeito para conversar com os profissionais de RH. Há também os candidatos que enviam e-mail periodicamente. Networking não é só com colegas de trabalho”, afirma. A especialista também indica pedir um retorno ao recrutador com o desempenho da entrevista e os motivos que levaram à rejeição.

Se ainda não teve tempo de pensar nestas questões por estar afundado em questões técnicas, talvez seja a hora de equilibrar as ações e assim enfrentar as próximas entrevistas com mais probabilidades de sucesso. Repense seus passos, simples ajustes podem recolocá-lo no caminho do sucesso na corrida para seu próximo emprego, ok?

As dicas foram extraídas do artigo da INFO.

Artigos que também podem lhe interessar:

Related Posts with Thumbnails